Estréia documentário sobre Festa de São João

Tudo começou durante a turnê delançamento de Eu Tu Eles. Gilberto Gil fez shows em diversascidades do País. O diretor Andrucha Waddington o acompanhava.Conversavam muito sobre música de raiz, sobre baião, LuizGonzaga e Festa de São João. Veio daí a idéia de fazer umdocumentário sobre o assunto que estréia nesta sexta-feira. Andruchatoma como referência o show de Gil no Rio e o segue, emcompanhia de irmã de Luiz Gonzaga por diversas cidadesnordestinas. O que encantava Andrucha é o que está na tela: oentusiasmo do público nessas manifestações. As pessoas cantam,dançam, participam de brincadeiras às vezes perigosas - com fogo-, mas tudo isso faz parte das tradições nordestinas. O coraçãodo Brasil pulsa em Viva São João! Particularmenteemocionante foi a exibição do filme no Festival do Recife, noCine-Teatro Guararapes, que estava lotadaço. E aquele públicotodo, quase 3 mil pessoas, vibrando. Muitos não resistiam.Cantavam e dançavam com Gil e Chiquinha Gonzaga, que estálançando seu primeiro CD, com músicas do filme. Viva São João! é um documentário sobre música, masnão é só isso. Embutido na turnê de Gil, nos comentários docantor e compositor e das personalidades com que ele divide acena, contando casos e viajando na lembrança, está um comentáriode Andrucha sobre a brasilidade presente nas manifestaçõesculturais nordestinas - na música, na comida, nas festas, nocinema. A seleção musical baseia-se em standards do grande LuizGonzaga, mas minimiza as músicas que o próprio Gil projetou natrilha de Eu Tu Eles. Alguns depoimentos são ótimos e nenhumé mais fascinante do que o daquela mulher, exótica com seucachimbo e o rifle, que fala sobre o seu desejo de solidão,sobre os homens que teve. Parece a personagem de Regina Casé emEu Tu Eles. Bem, na verdade ela foi uma das fontes dapesquisa para aquele filme. Andrucha admite que tinha essetrunfo reservado. Sabia que ela daria uma grande entrevista parao seu documentário. Não errou, pelo contrário. Pela beleza de suas imagens (fotografia de MarceloDurst), Viva São João! presta-se a um debate muito forte nocinema brasileiro. A Conspiração, empresa à qual pertence, ouque lhe pertence, estaria refazendo os clássicos do Cinema Novoao gosto atual. Uma estética publicitária, expressa em céus (eentardeceres, principalmente) como você encontra em comerciaisde cigarros, de cervejas. Andrucha defende-se um tantotoscamente, dizendo que o céu no Nordeste é daquele jeito. Emcor não tem como fugir daquilo. A questão talvez seja outra.Pode existir uma imagem publicitária sem ser realmente umaestética publicitária? Pois a maneira como Andrucha termina seufilme, o lamento de Gil sobre o sertão, é a antipropaganda.Introduz uma nota soturna, melancólica num filme que é, atéentão, alegre. É esse toque que faz de Viva São João! a obrade um artista. Pode não ser um grande filme, mas é um belofilme.Serviço - Viva São João. Documentário Musical. Direção deAndrucha Waddington. Br/2002. Dur.: 90 m. Interlar AricanduvaCinemark 11, às 14h50, 17h15, 19h20 e 21h25 (amanhã (14) esábado também 23h25; sábado e domingo também 12h45). UnibancoArteplex 6, às 13h40, 15h20, 17 h, 20h20 e 22 h. Livre

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.