ESTRÉIA-Adam Brody troca TV por cinema em 'Eu e as Mulheres'

O ator Adam Brody faz sua passagem deséries de TV como "Gilmore Girls" e "The O.C." para seuprimeiro papel como protagonista no cinema na comédia dramática"Eu e as Mulheres". Esta é também a estréia cinematográfica dodiretor e roteirista Jon Kasdan. Filho do consagrado diretor e produtor Lawrence Kasdan (de"Corpos Ardentes" e "O Reencontro"), Jon Kasdan conta ahistória do roteirista Carter Webb (Brody), que vive uma crisepessoal aos 26 anos. Ele levou um fora da belíssima namorada Sofia (ElenaAnaya), uma atriz famosa, e ainda não conseguiu encontrar seulugar na profissão. Carter sobrevive escrevendo roteiros depornografia leve, e está totalmente insatisfeito com isso. Achando bom mudar de ares, Carter troca Los Angeles pelosubúrbio de Detroit onde mora sua avó, Phyllis (OlympiaDukakis). Bem mais deprimida do que o neto, a avó está obcecadapela idéia da morte. Sua filha (JoBeth Williams), mãe deCarter, não tem certeza de que é uma boa idéia ele ter talcompanhia, mas ele insiste. A chegada do jovem desconhecido é um presente para o triofeminino da família que mora em frente, formado pela mãe Sarah(Meg Ryan), a filha adolescente Lucy (Kristen Stewart) e acaçula precoce Paige (Mackenzie Vega). Carter estimula a imaginação das três e torna-se amigo deSarah, com quem troca confidências em longos passeios. Numoutro momento, Lucy vai ter expectativa de um romance emrelação ao amigo mais velho. O rapaz vive um processo de amadurecimento e confronta suasdores com outras bem maiores -- como é o caso de Sarah, doentede câncer e interpretada com delicadeza por uma Meg Ryan queassume um papel que lhe cai bem neste início de maturidade (aatriz acaba de completar 46 anos). O filme é agradável em diversos momentos, sem aprofundarnenhum destes relacionamentos, nem as fantasias e inadequaçõesde Carter em relação às mulheres. Ainda assim, ele é umpersonagem simpático, que pode abrir caminho para uma carreirade galã cinematográfico para Brody. (Por Neusa Barbosa, do Cineweb)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.