Estréia a comédia Click, com Adam Sandler e Kate Beckinsale

Ao saber que seria entrevistado por um brasileiro, Frank Coraci estende a mão e abre um largo e simpático sorriso. "Já estive em seu país", disse ele. Coraci foi a São Paulo, no final da década de 80, para apresentar seu primeiro longa-metragem, "Murdered Innocence", na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.Era uma produção independente no formato de um thriller de vingança. Muito diferente do tipo de filme no qual o diretor se especializou pouco depois, as comédias de costume estreladas pelo ex-colega dos tempos de faculdade, o comediante Adam Sandler.Na outra ponta do Arrecifes, um dos vários restaurantes do hotel e resort mexicano na costa sul da Baja Califórnia em que um batalhão de 50 jornalistas latinos e europeus está hospedado, Sandler e Kate Beckinsale também fazem sua parte na rodada de promoção de "Click", que estréia nesta sexta-feira.O filme, dirigido por Coraci, traz Sandler no papel de um pai de família que usa um controle remoto mágico para se concentrar exclusivamente na sua carreira. Kate faz a esposa, linda e dedicada, que também entra no pacote de negligências do marido.Brincadeira de casalA idéia do filme surgiu de uma brincadeira entre o roteirista Steve Koren e sua namorada. Coraci contou como aconteceu."Ele estava trabalhando, tentando pensar em uma idéia para um filme, e ela não parava de falar. Então, ele pegou o controle remoto da televisão e apontou para ela como botão do mudo apertado. Foi aí que pensou: ´Esta é a idéia´. Realmente aconteceu assim. Ele escreveu o roteiro, eu mandei para o Adam, que me ligou dizendo que faria o filme."Ex-companheiros de quarto na faculdade e amigos de longa data, Coraci e Sandler têm uma parceria no cinema. Os dois fizeram juntos "The Wedding Singer" (1998) e "The Waterboy" (1998), dois grandes sucessos de bilheteria."Fazia sete anos que não trabalhávamos juntos e queríamos encontrar um material bom para um filme", conta o diretor."Eu li o roteiro e achei que dirigi-lo ia ser muito bom, em vários sentidos. Gosto da história, gosto do personagem de Adam, que é um cara que comete erros, mas não tem intenção de machucar ninguém."Michael Newman, personagem de Adam Sandler, tem o perfil do americano de classe média com ambição de riqueza. Ele trabalha em uma firma de arquitetura, dedica-se muito ao trabalho e quase não tem tempo para a família. Sonha com uma promoção e a sociedade na firma onde trabalha.Quando recebe de um estranho vendedor de eletrodomésticos, Morty (Christopher Walken), um controle remoto universal para controlar sua vida, ele descobre que pode avançar as brigas com a mulher, pausar a bagunça para poder trabalhar, voltar aos melhores momentos e rever os grandes acontecimentos com narração de James Earl Jones (a voz do vilão Darth Vader em Guerra nas Estrelas).Controle total"Click" pode ser entendido como uma comédia de costumes despretensiosa e também como um drama sobre a ambição do homem norte-americano moderno que sonha em ter controle sobre tudo e todos.O filme dosa muito bem esses dois ingredientes graças, em grande parte, ao trabalho de Coraci. "Os filmes que mais me atraem são aqueles que trazem alguma coisa nova", disse ele."Isso foi o que me atraiu. Esse filme consegue misturar comédia com drama autêntico. Para mim, o trabalho do diretor é fazer o tom funcionar. Acho que um filme tem que ser honesto, a comédia tem que ser baseada em realidade e, quando se chega ao conflito dramático, tratá-lo de uma maneira realista. Acho que as interpretações de Adam e Kate foram fundamentais para conseguir esse equilíbrio e trazer profundidade ao filme", comenta o diretor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.