"Estamira", de Marcos Prado, ganha Prêmio de Direitos Humanos

O filme brasileiro Estamira, do diretor Marcos Prado, recebeu hoje o Prêmio Internacional de Cinema de Direitos Humanos em Nuremberg por sua visão sobre a vida de uma mulher nos subúrbios do Rio de Janeiro. O júri dos prêmios, que dão 5.000 euros, distinguiu tanto a"maestria da linguagem cinematográfica" de Prado como os valores deseu "retrato de uma mulher combativa que luta pela sobrevivência",segundo a argumentação do prêmio. A produção brasileira impôs-se assim às outras oito finalistasna 4.ª edição do festival. Além disso, Mardi Gras: Made in China, de David Redmon, recebeuuma distinção especial por tratar sobre um grupo de trabalhadoresdeuma fábrica chinesa que produz para Nova York. Bunso the Youngest, dos filipinos Ditsi Carolino e Nan Buxani,recebeu o prêmio Open Eyes de cinema jovem. O Festival de Nuremberg tem caráter bienal e, na presenteedição,foram projetados 78 filmes de 30 países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.