Estados pedem a Hollywood que tire o fumo de cartaz

Procuradores de 24 Estados americanos - o país tem 50 - estão pedindo a Hollywood que minimize a presença do cigarro em seus filmes. Em carta enviada ontem à poderosa Motion Picture Association of America (MPAA), que representa os estúdios, eles citam estudo da Dartmouth Medical School, segundo o qual crianças que freqüentemente vêem atores fumando têm três vezes mais chances de aderir ao hábito."Não estamos dizendo que alguma lei tenha sido contrariada", reconhece Tom Dresslar, o representante da Califórnia - onde fica Hollywood. "Estamos só fazendo um pedido à indústria do cinema, em nome da saúde de nossas crianças, que faça tudo que esteja a seu alcance para que elas não comecem a fumar."Um assessor da MPAA acusou o recebimento da carta e rebateu: "Fumar é uma atividade legal. Dito isto, ele (Jack Valenti, o presidente da MPAA) vai ler atencionsamente a carta e estudar suas referências." Brendan McCormick, da Philip Morris americana, limitou-se a dizer que as grandes companhias de cigarro já assinaram um acordo nacional, em 1998, pelo qual se comprometem a não pagar para ter suas marcas expostas na telona.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.