Episódio II de Star Wars faz a febre recomeçar

Faltam dez dias para a febre recomeçar. Episódio II: O Ataque dos Clones foi criticado antes e depois da estréia nos EUA. George Lucas e Ewan McGregor, o Obi Wan Kenobi do último filme, tiveram que se explicar e prometer melhoras para o novo episódio. Fãs da saga chegaram a pedir em abaixo-assinado que o diretor de Senhor dos Anéis, Peter Jackson, assumisse Guerra nas Estrelas daqui por diante. Mas nada disso arrefece os ânimos da legião de brasileiros apaixonados que não agüentaram esperar pelo dia 1.º de julho e marcaram uma pré-estréia só para eles num shopping em Guarulhos dois dias antes. O clima é de alta ansiedade e a festa programada para o próximo dia 30 vai ser a caráter. Nada menos do que 430 fãs vão conferir em primeira mão, no Brasil, a descambada de Anakin Skywalker para o lado negro da Força vestidos como personagens da saga. ?Vamos ter desde Jedis básicos, com kimono, bota, capa, capuz e sabre de luz, até uns quatro Darth Vaders?, diz Fabíola Chierice, relações públicas do Conselho Jedi de São Paulo. A paixão de todos os fãs do Conselho Jedi é antiga. A maioria deles vai à loucura com qualquer coisa que lembre o épico de ficção científica. Fabíola, uma designer de 26 anos que vai à pré-estréia fantasiada de Senadora Amidala (porque no novo filme ela não é mais princesa) tem amigos que foram aos Estados Unidos só para ver Episódio II. Mas aqui também fizeram coisa parecida. ?Eu e alguns amigos fomos ao cinema outro dia, assistimos ao trailer do Episódio II e saímos?, conta Fabíola. Essa fixação por Star Wars torna-se quase impermeável às críticas negativas. É possível que os fãs de carteirinha compartilhem da opinião geral sobre Episódio I, exibido em 2000 nos cinemas de todo o mundo, nada lisonjeira. Mas nem por isso vão deixar de ver várias vezes o novo episódio e comprar mais e mais quinquilharias sobre a saga para aumentar suas coleções. Sobre o comentado excesso de romantismo do novo filme, Fabíola define: ?tem que haver romance entre Anakin e Amidala, pois Luke e Leia são filhos deles?. Mas não é preciso muito para fazer os integrantes do Conselho Jedi paulista vibrarem. ?Só de ver o logo da Lucas Film no início da projeção todos já gritam?, ela diz, garantindo que durante o filme eles ficam em silêncio. Daí pode-se deduzir o tamanho da paixão. ?É paixão mesmo?, declara abertamente a relações públicas do Conselho. O sentimento que ela e outros fãs confessam provoca lágrimas, mas também abre carteiras. Bonecos, despertadores, telefones, acessórios de moda e fantasias são pequenas estrelas na galáxia de produtos vendidos com a marca criada por George Lucas. ?Eu não tenho tanta coisa assim porque me controlo?, ela afirma. Mas há fãs menos controlados. Tudo isso pode parecer mania de fã, mas o funcionamento do Conselho Jedi já é exemplo de abnegação. Todos os anos, eles organizam um encontro chamado Jedicon, em que reúnem aficionados de todo o País para curtirem o entusiasmo comum. Este ano, só para esquentar os motores para a pré-estréia marcada em Guarulhos, o Jedicon será no dia 29 deste mês na Oficina Cultural Mazzaropi, em São Paulo. Nestes encontros, produzidos desde 1999, os fãs realizam sorteios, desfiles de fantasias, projetam filmes feitos por fãs sobre Star Wars e debates com figuras importantes no metiér. Como o evento chega a este nível de sofisticação? ?Já não tenho fim de semana há muito tempo e muitos de nós passamos as madrugadas na Internet trabalhando pelo Conselho?, conta Fabíola.Nada anormal, desde que se compreenda a verdadeira dimensão do amor que os fãs nutrem pelo universo de Guerra nas Estrelas. Fabíola, que prefere Darth Vader dentre todos os personagens e O Império Contra-Ataca aos outros filmes, resume sua explicação. ?Guerra nas Estrelas tem amor, guerra, tem todos esses assuntos que são a base do mundo?. Cinema Digital - No Brasil, Star Wars - Episódio II - Ataque dos Clones poderá ser visto como concebeu o diretor George Lucas nas Salas Digital de Cinema dos megaplex da Rede UCI do New York City Center (Rio de Janeiro) e do Shopping Jardim Sul (São Paulo). As duas salas, únicas da América do Sul, são dotadas de sistema desenvolvido pela TeleImage, com maior qualidade de som e imagem.Clique aqui para assistir ao trailler do filmeRio de Janeiro - Rede UCI de Cinemas (Sala 15) - New York City Center - Av. das Américas, 5.000, Barra da Tijuca - Tel. (21) 2432-4840São Paulo - Rede UCI de Cinemas (Sala 10) - Shopping Jardim Sul - Av. Giovanni Gronchi, 5.819, Morumbi - Tel. (11) 3744-8422

Agencia Estado,

21 de junho de 2002 | 19h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.