Épico do diretor de "Herói" é destaque de ciclo

O Unibanco Arteplex, em parceria com o Ministério da Cultura e a Embaixada da República Popular da China no Brasil, realiza a partir de hoje a Semana de Filmes Chineses, com nove filmes que serão exibidos até o dia 25. O ponto alto da programação será a exibição do épico The House of the Flying Daggers (A Casa das Adagas Voadoras), de Zhang Yimou, cuja exibição na 28.ª Mostra BR de Cinema foi cancelada à ultima hora.Yimou é o mesmo diretor de outro épico de artes marciais, Herói, uma experiência audiovisual de rara beleza. Poucos filmes podem ser considerados tão bonitos visualmente. The House é igualmente belo e do ponto de vista do roteiro é mais complexo, mais denso. Os conflitos são mais elaborados, os personagens mais fortes e as situações mais ricas. No filme, a atriz Zhang Ziyi (de Herói e O Tigre e o Dragão) é uma cortesã que, mesmo desprovida de visão, executa a impressionante dança dos punhais. No desenrolar da história, Zhang Ziyi liga-se a dois soldados que recebem a missão de eliminar o chefe do clã das adagas, que ameaça a dinastia dominante. Os perigos aumentam quando os dois se apaixonam pela garota e viram rivais. Zhang Yimou fez um filme extraordinário que retoma sua tradicional preocupação pelo papel da mulher na sociedade chinesa tradicional. A expectativa é de que o filme seja a segunda parte de um tríptico e que o diretor ainda faça o terceiro, para completar o que os admiradores do cinema de sabre esperam que sejam uma trilogia. Guerreiros do Céu e da Terra, de He Ping, embora ofuscado pelo filme superior de Yimou, não deixa de oferecer atrativos com sua história de oficial rebelde que, durante a dinastia Tang, é perseguido por espadachim japonês. Os demais filmes que integram a programação apresentam diferentes visões da China. Lembranças de Taiwan, de Zhang Dongtian, passa-se durante a ocupação de Formosa pelos japoneses, vista pelo ângulo da família de um médico rural. A 2.ª Guerra Mundial também fornece o quadro para Amor do Rio Amarelo, de Feng Xiaoning, sobre avião americano que é abatido junto à Grande Muralha e o piloto sobrevive. Anos mais tarde, ele volta para a China, em busca das pessoas que o acolheram. Meu 1919, de Huang Jianzhong, recua no tempo até a 1.ª Grande Guerra, para evocar a participação chinesa na conferência de paz em Paris. Chefe, de Wu Tianming, situa-se numa época mais recente, mostrando os esforços do dirigente de uma fábrica de eletrodomésticos para desenvolver produtos competitivos no mercado internacional. Rompendo o Silêncio, de Sun Zhou, com a ex-musa de Yimou, Gong Li, focaliza o drama de operária divorciada que tem de prover sozinha, o filho surdo. As relações do casal estão no centro de Amor Azul, de Huo Jianqi, sobre policial que se apaixona por atriz e os sentimentos entram em choque, apesar dos esforços dele para compreender (e aceitar) a sensibilidade exacerbada da mulher que ama. E Voltando da Amazônia, de Song Yeming, mostra o treinamento desgastante a que dois soldados são submetidos, no fim dos anos 1990, e que os leva a testar os limites do físico e da mente.Semana de Filmes Chineses - Hoje, 19h, Guerreiros do Céu e da Terra (2003), de He Ping; 21h30, Lembrança de Taiwan (2003), de Zheng Dongtian. Sábado, 14h e 19h, Rompendo o Silêncio (1999), de Sun Zhou; sábado, 16h30, 21h30 e 0h, dom., 19h, House of Flying Daggers (2004), de Zhang Yimou. Dom., 14h, Chefe (2002), de Wu Tianming; dom., 16h30 e 21h30, Amor Azul (2000), de Huo Jianqi; dom., 21h30. Espaço Unibanco 3. R. Augusta, 1.475, 3288-6780. R$ 13 (6ª a dom). Até 25/11

Agencia Estado,

19 de novembro de 2004 | 18h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.