Enxurrada de premiações congestiona Hollywood

A preocupação com a segurançada era pós-atentadosterroristas e a estréia do American Film InstituteAwards, realizado há poucos dias nos Estados Unidos, reaquecem adiscussão sobre o congestionamento de prêmios relacionados aoshowbiz. De acordo com a Variety, existem 564 cerimôniaspara entregas de estatuetas em todo o mundo a cada ano, mas,pelo que indicam reportagens de jornaiscomo o Daily News e o New York Post, cada vez mais aimprensa norte-americana passa a ter menos respeito por eles.Fora os prêmios que realmente importam (o Oscar, o Globo deOuro e, com alguma boa vontade, o Screen Actors Guild Awards e oDirector´s Guild of America Awards, organizados pelosrespectivos sindicatos), os Estados Unidos têm uma enxurrada deeventos e listas secundárias. Há as escolhas das associações decríticos de cinema, de cidades como Nova York, Chicago, LosAngeles e até Las Vegas, além de prêmios que tentam ser maisdescolados, como o MTV Movie Awards e o Independent SpiritAwards. Existem até premiações para traillers (o Golden TrailerAwards) e para as bombas (o hilário Framboeza de Ouro).Mas a profusão de eventos começa a gerar constrangimentos,como foi o caso do American Film Institute Awards. Organizado emparceria com a rede de TV CBS (que pretendia entrar no ramo depremiações para concorrer com a ABC, que tem os direitos detransmissão do Oscar, e a NBC, que transmite o Globo de Ouro), oevento teve momentos vergonhosos, já que 11 dos 17 principaisvencedores não estavam na cerimônia. Nem o arroz-de-festa TomHanks apareceu para ganhar a estatueta de melhor minissérie,pela sofrível Band of Brothers, do canal por assinatura HBO.A celebridade mais conhecida do evento era Sissy Spacek e oprograma teve menos audiência do que uma reprise do filme G.I.Jane, um dos maiores vexames da carreira de Demi Moore. O pior sinal é o de que as próprias celebridades estãocansadas das premiações. Quando o Emmy foi adiado duas vezes emfunção dos atentados terroristas de setembro, uma série deestrelas abriu a boca em relação à falta de relevância dosprêmios. Outro mal sinal veio da rede de locadoras Blockbuster,que anunciou há poucos dias o cancelamento do Blockbuster Awardsporque os produtores não estavam conseguindo garantir asaparições de nenhuma celebridade de peso.As premiações secundárias, é claro, servem para antecipar osresultados de eventos como o Oscar e o Globo de Ouro, e assimajudar a impulsionar negócios, elevar o passe de profissionais eestúdios e gerar mais publicidade para filmes que muitas vezesnão ganharam o reconhecimento merecido.O problema é que alguns analistas da indústriam acham que arepetição de vencedores, na verdade, diminui o clima de suspensedos grandes eventos. Este ano, por exemplo, alguns favoritos jáparecem estar com lugar garantido no topo de Hollywood. MoulinRouge - Amor em Vermelho, Mullholland Drive e In theBedroom são alguns dos filmes mais premiados até agora,enquanto Russell Crowe e Sissy Spacek devem chegar em março bemcotados para as estatuetas de melhor ator e atriz. Resta saber oquanto o mundo vai estar interessado nos resultados, depois detrês meses de premiações intensas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.