Entre diretores, os irmãos Coen são favoritos ao Oscar

Assim como o filme Onde os Fracos Não Têm Vez conquistaram a preferência da crítica, os irmãos Coen são os mais cotados para levar a estatueta de melhor diretor do ano. Mas Julian Schnabel também tem grandes chances de ganhar mais um troféu por seu longa O Escafandro e a Borboleta, prêmio de direção no Festival de Cannes 2007 e no Globo de Ouro deste ano.     Ethan e Joel Coen   Os irmãos Ethan e Joel Coen iniciaram sua parceria de sucesso em 1984, com Gosto de Sangue, que se tornou um dos filmes mais cultuados do cinema independente norte-americano. Em 1996, os cineastas lançaram a obra-prima Fargo - Uma Comédia de Erros, que perdeu o Oscar de melhor filme para O Paciente Inglês, de Anthony Minghella, mas levou o prêmio de melhor roteiro original e melhor atriz, para Frances McDormand, mulher de Joel.   No século 21, os filmes dos irmãos Coen passam a ter mais força no circuito comercial, como O Amor Custa Caro (2003) e Matadores de Velhinhas (2004). Ethan e Joel realizam todo o trabalho juntos: escrevem, dirigem, produzem e editam os filmes, que têm nos personagens excêntricos e nos finais imprevisíveis as principais marcas.   Em Onde Os Fracos Não Têm Vez, os irmãos retornam ao cenário de desolação geográfica e da violência de outros filmes, como Gosto de Sangue e Fargo - Uma Comédia de Erros. O filme narra a história de Llewelyn Moss (Josh Brolin), um típico caipira do oeste americano que encontra uma mala cheia de dinheiro no meio do deserto e decide levá-la para casa. O que o homem não esperava é que um assassino psicótico (Javier Bardem) começasse a perseguí-lo. Bardem interpreta com maestria o obcecado e esquisito matador.   "Este, como todos os outros, é um filme muito pessoal e, ao mesmo tempo, universal que sempre estamos perseguindo e contar histórias de gente que fazem parte do nosso universo, mas que poderiam viver dilemas como qualquer um", afirmaram os irmãos após a exibição do filme no Festival de Cannes.     Paul Thomas Anderson   O jovem diretor norte-americano, de 37 anos, acumula três indicações por Sangue Negro: direção, filme e roteiro original. É sua quinta indicação. Já concorreu nas categorias de roteiro original por Magnólia (1999), que lhe rendeu o Urso de Ouro em 2000, e por Boogie Nights - Prazer sem Limites (1997). No festival de Berlim, Anderson foi premiado com o Urso de Prata de Melhor Diretor por Sangue Negro. Durante a cerimônia, o diretor elogiou o trabalho do protagonista do filme, Daniel Day-Lewis, ator que, segundo ele, é "capaz de tornar qualquer cineasta bom". Ele ainda acrescentou que, embora não acredite que seu filme possa mudar o mundo, pode "fazê-lo feliz por uma noite".     Julian Schnabel   O Escafandro e a Borboleta é o terceiro filme do diretor Julian Schnabel. Responsável também pelas produções Antes Que Anoiteça (2000) e Basquiat (1996), Schnabel começou sua carreira nas artes como pintor na década de 80. Seus trabalhos eram considerados neo-expressionistas e foram expostos no mundo todo.   Com grandes chances de ganhar a estatueta este ano, Schnabel recebeu por O Escafandro e a Borboleta o prêmio de direção no Festival de Cannes 2007 e no Globo de Ouro deste ano.     Jason Reitman   O jovem diretor Jason Reitman lançou este ano sua segunda grande produção, Juno. Com apenas 30 anos e filho do diretor e ator Ivan Reitman, de Os Caça-Fantasmas, Reitman estreou na direção com Obrigado por Fumar (2005) e já venceu diversos prêmios em festivais americanos com um de seus seis curtas, In God We Trust (2000). Juno, por sua vez, conquistou o prêmio de melhor filme no 2.º Festival de Cinema de Roma, no ano passado.     Tony Gilroy   Conduta de Risco é o filme de estréia do diretor Tony Gilroy, roteirista da famosa trilogia de thrillers do agente Jason Bourne, estrelada por Matt Damon. Filho do escritor Frank D. Gilroy, ganhador do prêmio Pulitzer, seus primeiros trabalhos foram como roteirista e produtor. Medidas Extremas, O Advogado do Diabo e Prova de Vida são alguns dos filmes cujos roteiros foram elaborados por ele.

Teresa Ribeiro, Marina Ramos e Bianca Pinto Lima, do estadao.com.br,

08 Fevereiro 2024 | 20h11

Mais conteúdo sobre:
diretores Oscar filmes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.