Encontrado roteiro de Sartre

Um dos cinco roteiros cinematográficos escritos pelo prêmio Nobel de Literatura Jean-Paul Sartre entre 1943 e 1944 para a produtora Pathé Filmes, que se consideravam perdidos, foi encontrado e publicado pela revista Les Temps Modernes, fundada por ele em 1945.O roteiro foi editado precedido de um artigo do próprio Sartre, Um Filme para o Pós-Guerra, que apareceu pela primeira vez clandestinamente, em 1944. Trata-se de Resistance (Resistência) e conta a história de um jovem jornalista ambicioso, prisioneiro de guerra libertado graças aos amigos do sogro, que dirige um jornal colaboracionista, em Rouen, e exige, em troca, que ele deixe a política para se dedicar a escrever.Desgostoso, o jovem envolve-se na Resistência e faz voar a sede da Gestapo em Paris.Uma cópia de Resistance foi encontrada por um professor de filosofia, Daniel Accursi, ao revisar os papéis de seu pai, Claude Accursi, que, em 1943, foi secretário de Raymond Borderie, produtor da Pathé (pai de Bernard Borderie, o famoso diretor da série Angélica, a Marquesa de Los Angeles). Borderie havia oferecido a Sartre um contrato bienal de seis roteiros por ano, mas Resistance foi considerado muito melodramático pelo realizador Louis Daquin, que deveria dirigi-lo.Terminada a guerra, o roteiro foi modificado e o protagonista, em vez de passar para a Resistência, tornava-se colaboracionista. Mas nem sequer essa troca permitiu que o filme fosse rodado. Sartre debutaria como roteirista em 1947, com Les Jeux Sont Faits, dirigido por Jean Delannoy, com Micheline Presle e Marcello Pagliero nos papéis de dois mortos que ressuscitam para tentar uma nova vida.O tema de Resistance era em certa medida autobiográfico, já que Sartre, que também esteve em um campo de concentração nazista, foi libertado e tentado pela Resistência, mas se dedicou, em troca, a escrever, sem renunciar contudo a um comprometimento político. O roteiro é o único dos cinco que o prêmio Nobel conseguiu escrever como parte de seu contrato bienal com a Pathé Filmes. O material sobreviveu até nossos dias e ignora-se como apareceu entre os papéis de Claude Accursi, que depois da 2.ª Guerra Mundial converteu-se em um respeitável roteirista.Sabe-se de outro, chamado Les Mauvais Chemins, que era uma espécie de continuação do conto de Sartre L´Enfance d´un Chef (A Infância de um Chefe), no qual se descrevia com luxo de detalhes o mundo do colaboracionismo.Les Mauvais Chemins, redigido em colaboração com Jacques-Laurent Bost, deveria ter sido dirigido em 1948 por Marcello Pagliero, um italiano que vivia na França, protagonista de Les Jeux Sont Faits e conhecido na história do cinema por ter sido o resistente torturado em Roma, Cidade Aberta, de Roberto Rossellini, mestre do neorealismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.