Encontrado morto o crítico Jairo Ferreira

Foi encontrado morto hoje em sua casa em São Paulo o crítico, jornalista, poeta e escritor Jairo Ferreira Pinto, aos 58 anos. A causa da morte ainda não foi determinada, mas Pinto vivia uma fase problemática e estava muito doente. Internado para tratamento, fugiu de diversas clínicas. Solteiro, só tinha uma irmã que vivia em São Paulo (outro irmão vive em Natal, RN). O corpo será cremado amanhã no cemitério de Vila Alpina, pela manhã.Ex-crítico da Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo, Pinto foi coordenador do Cine Clube Dom Vital (de 1964 a 1966), crítico de cinema do jornal da colônia japonesa São Paulo Shimbum (entre 1966-72), acompanhou o desenvolvimento do Cinema Marginal e foi colaborador de revistas como Filme Cultura e Artes, além de editar a revista Metacinema. É autor do livro Cinema de Invenção, no qual discute a obra de vários cineastas brasileiros considerados experimentais, como Glauber Rocha, Carlos Reichenbach, Walter Hugo Khoury, Julio Bressane. Segundo site de verbetes do Itaú Cultural, Pinto foi assistente de direção em O Quarto, de Rubem Biáfora, e em Orgia ou o homem que deu cria, de João Silvério Trevisan. É co-roteirista de O Pornográfo, longa-metragem em 35 mm de João Callegaro; de Corrida em Busca do Amor, longa em 35 mm de Carlos Reichenbach; de Sonhos da Vida e de Sangue Corsário, curtas-metragens 35 mm de Carlos Reichenbach. Ganhou o Prêmio Governador do Estado pelo roteiro do filme O Pornógrafo. Fez também vários filmes em super-8, como O Vampiro da Cinemateca, e um filme em 35 mm, O Guru e os Guris, de 1975. Em 1997, o Museu da Imagem e Som de São Paulo fez uma retrospectiva da sua obra cinematográfica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.