Divulgação
Divulgação

Em 'Pixels', nerds especialistas em games viram super-heróis

Filme reúne no elenco Adam Sandler e Peter Dinklage

Pedro Antunes, O Estado de S. Paulo

17 de junho de 2015 | 09h00

Os heróis não são mais aqueles seres superpoderosos, de roupa colada ao corpo, cueca sobre a calça e capa esvoaçante. Também não são musculosos e atléticos. Os heróis, pelo menos em Pixels, são nerds. Mas não o tipo de nerd em moda hoje. Os responsáveis por salvar o planeta são uns perdedores cujo único talento, ainda nos anos 1980, nunca os levou a lugar nenhum: eles eram campeões em videogames como Pacman e Space Invaders.

Na amalucada história de Pixels, que estreia no Brasil no próximo mês, uma raça alienígena encontrou uma cápsula enviada pela humanidade com certos produtos da cultura pop da época, nos anos 1980, e a interpretou da maneira errada. Agora, esses aliens atacam o planeta com ameaçadoras (ou, muitas vezes, fofas) versões dos games famosos na época. Obviamente, dentro dessa lógica cômica, aqueles gamers perdedores são os capazes de salvar a humanidade da destruição de Pac-Man e companhia.

Pouco da nova comédia da Sony Pictures foi mostrada na convenção montada pelo estúdio em Cancún para reunir imprensa mundial e atores dos seus próximos lançamentos, mas a premissa original (mesmo que inspirada em um curta independente homônimo de 2010) motivou o diretor Chris Columbus a embarcar nesta jornada quando foi chamado por Adam Sandler, produtor e protagonista do longa.

“Não sabia o que esperar quando recebi o roteiro do Adam Sandler”, relembrou Columbus, em entrevista coletiva. “Estava viajando para São Francisco e li aquelas páginas. Era o roteiro mais emocionante que li em, sei lá, uns 5 anos.” Columbus também assina a produção do longa.

Columbus sempre soube falar com crianças e jovens. São dele clássicos da década de 80 até hoje contemporâneos na cultura pop, como Os Goonies (cujo roteiro é dele) e Esqueceram de Mim (dirigido por ele). Entre outros sucessos que engordam seu currículo estão Uma Babá Quase Perfeita, O Homem Bicentenário e os dois primeiros filmes da franquia Harry Potter

O roteiro original, conta o diretor, foi responsável por fazê-lo aceitar o trabalho. “Estamos lançando um filme original em pleno verão (no Hemisfério Norte), que é algo corajoso, porque não somos uma grande franquia ou um filme de super-heróis.”

Em Pixels, Adam Sandler é Sam Brenner, campeão mundial de Pac-Man, e Peter Dinklage, ostentando um mullet graciosamente divertido no longa, é Eddie Plant, especialista em Donkey Kong. Josh Gad é o especialista em Centipede chamado Ludlow Lamonsoff. O elenco ainda conta com Michelle Monaghan e Kevin James, os dois também presentes no painel. Difícil, contudo, foi conseguir uma resposta séria com todos juntos ali.

Brincadeiras sobre o peso de James e Gad, principalmente, como nesta versão de heróis pouco usuais e a relação com os videogames dos anos 1980, que agora eles enfrentam na telona, ditaram o ritmo de conferência. “Sou um pouco mais velho que esses caras”, diz Columbus, de 56 anos - Sandler tem 48. “Então, jogava esses jogos nos bares.”

“Não sou muito bom nos videogames de hoje em dia”, contou Sandler. “Consigo jogar segurando o iPhone e mexendo ele de um lado para o outro, assim. Mas é o que eu sou capaz de jogar com os meus filhos.” Kevin conta que os videogames, para ele, eram desculpas para encontrar os amigos e as garotas. “Jogava Pac-Man e outros desses games naqueles grandes lugares com máquinas de arcade. Tínhamos uma quantidade limitada de moedas para jogar, então era preciso saber onde investir. E eram lá onde ficavam as garotas.”

Com a série Game of Thrones ainda fresca na cabeça, já que o episódio final foi exibido no último domingo, 14, Dinklage foi questionado sobre o que o motivou a interpretar esse campeão de Donkey Kong. “Alguém está familiarizado com Game of Thrones por aqui?”, brincou ele. “Bom, esse tem sido meu trabalho nos últimos 5 ou 6 anos, e não gosto de me repetir. Adoro entrar num projeto assim. Recebo vários projetos muito parecidos com Game of Thrones, mas já faço parte de um bom seriado sobre fantasia medieval. Acho que já é o suficiente.” Michelle Monaghan brinca e define o tipo de heróis que salvarão a humanidade em Pixels: “Ele só aceitou por causa do mullet”. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.