Em "O Quarto Verde" Truffaut relê Henry James

Entra em cartaz nesta sexta-feira, no Circuito Estação, no Rio, O Quarto Verde, de François Truffaut, de 1978. O filme nunca foi oficialmente lançado no Rio, tendo sido apresentado numa mostra especial dedicada a Truffaut organizada pelo grupo Estação, que rodou algumas cidades, incluindo São Paulo.Estranho à sua obra, humanista e marcada por sua forte relação com as mulheres, o filme é um ode à morbidez. Truffaut incorpora Julien Davenne, que após a morte da esposa passa a cultuar a morte. Ele inicia uma coleção de objetos que pertenceram a seus amigos falecidos que culmina com a criação de um templo. Relaciona-se com uma moça, Cecília, aproximados pela memória dos "seus mortos" que querem preservar.O Quarto Verde, de 1978, foi um dos maiores fracassos de público de Truffaut - assim como Atirem No Pianista. Pouco antes, em 1977, fez o emblemático O Homem que Amava as Mulheres, com Charles Denner e conquistou o Oscar com Noite Americana, em 1973. O cinema cotidiano e apaixonado que marca sua obra não está presente em O Quarto Verde, baseado livremente nos contos de Henry James. O personagem principal, Julien Davenne, é jornalista, profissão que Truffaut exerceu durante muitos anos. Diferente da vida real, onde ele se sobressaía por seus artigos corrosivos para o Cahiers Du Cinéma, Davenne é um redator de obituários em um jornal decadente, de onde ele se recusa sair. Quer ficar esquecido. Os colegas o consideram uma criatura estranha: ele não é visto pela rua, não sai de casa. O que se sabe dele é que é um sobrevivente da 1.ª Guerra Mundial, viu muitos de seus amigos morrerem em batalha e se culpa por estar vivo. O Quarto Verde tem uma atmosfera estranha por onde transitam personagens solitários, envolvidos com seus passados. Em uma das visitas a leilões de pertences de pessoas mortas, ele conhece Cecília, vivida por Nathalie Baye. Eles se aproximam assim, pelo respeito à morte. Davenne começa a colecionar lembranças de pessoas amigas ou meros conhecidos. O casal chega a montar um templo para os mortos numa capela destruída que ele ajuda a reformar. Não existe entre eles um clima de romance, ainda que a moça se mostre apaixonada por ele. A harmonia entre os personagens se dissolve quando o jornalista descobre que Cecilia foi amante de Massigny, o homem que o fez perder a confiança nos vivos. Logo depois de O Quarto Verde, Truffaut dirigiu O Amor Em Fuga e retomou o rumo do sucesso, embora ele tenha dito preferir o primeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.