Em Londres, o ator Dustin Hoffman critica Hollywood

O ator americano Dustin Hoffman acusou Hollywood de praticar "eutanásia" com filmes que não se transformam imediatamente em sucessos de bilheteria."Se o filme não faz dinheiro no primeiro fim de semana de seu lançamento, é sepultado", disse o mítico ator de 69 anos, que está na capital britânica para assistir à estréia de seu último filme, "Mais Estranho Que a Ficção", no Festival de Cinema de Londres.O protagonista de "A Primeira Noite de Um Homem" acusou a indústria cinematográfica americana de ser obcecada pelas bilheterias e de verificá-las praticamente de hora em hora nos dias posteriores a uma estréia, como se uma fita de pouca qualidade e grande bilheteira pudesse tomar o lugar de produções de alta qualidade.No entanto, Hoffman, que ganhou dois Oscar por sua interpretação em "Kramer vs. Kramer" (1978), de Robert Benton, e em "Rain Man" (l988), de Barry Levinson, mostrou-se otimista com os recentes êxitos alcançados por alguns filmes americanos.Em declarações ao jornal dominical britânico "The Sunday Times", o ator confessou que o filme "mais emocionante" que viu este ano é "Pequena Miss Sunshine", uma obra independente de baixo orçamento, que conta a história de uma família americana em crise que inscreve uma menina em um concurso de beleza na Califórnia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.