Em DVD, dose dupla de Daniel Day-Lewis

Dose dupla de Daniel Day-Lewis. Ede Jim Sheridan. O primeiro estrela e o segundo dirige doisfilmes que estão sendo lançados em DVD pela Columbia: Em Nomedo Pai e O Lutador. Embora a parceria mais famosa de ambosseja no filme Meu Pé Esquerdo - que valeu a Day-Lewis o Oscar demelhor ator -, os outros dois possuem qualidades. Mais que isso:põem na tela, com força, o discurso político do cineasta quenasceu em Dublin, foi motorista de táxi em Nova York e animou oIrish Art Center, antes de regressar à Irlanda para iniciar acarreira de diretor talentoso, sensível e engajado - na delicadaquestão irlandesa.Ela está no centro dos dois filmes que agora saem emdiscos digitais, com a alta qualidade de imagem e som que só oDVD oferece no setor de home entertainment. No que se refere àsapresentações especiais, Em Nome do Pai oferece menosextras. Só notas sobre o elenco e o diretor, além dos maistradicionais menus interativos e seleção de cenas. Há maisoferta em O Lutador: comentários do diretor e do produtor(Arthur Lappin), making of, trailer de cinema e até um finalalternatrivo.Em Nome do Pai é um filme forte, que resgata agrande tradição do cinema político. Baseia-se na história deGerry Conlon, um ladrãozinho irlandês que vai parar em Londres,após uma disputa com integrantes do Exército RepublicanoIrlandês, o IRA. Conlon e um amigo praticam um assalto. Nestamesma noite, o IRA ataca um pub londrino e mata cinco pessoas.Conlon vai preso, suspeito de terrorismo. Embora a Inglaterranão seja nenhuma república das bananas, uma confissão é extraídadele sob tortura.Ele vai preso e termina envolvendo a família inteira.Uma tia é incriminada, seu pai é preso. Day-Lewis é Conlon eEmma Thompson faz a advogada que se interessa pelo caso. PetePostlewaithe é o pai. É um belo filme. Trabalha na densidadepsicológica dos personagens e dá um tom indignado à denúncia. Otodo possui uma transcendência trágica que faz desse filme omelhor do diretor.O Lutador, de novo com Day-Lewis, se baseia em outrahistória real, a do pugilista Danny Flynn, que ficou presodurante 14 anos por seu envolvimento com o IRA. Ao sair dacadeia, ele só pensa em montar uma academia - e se manterdistante da violência revolucionária. O filme discute a naturezada violência. Expõe a tensão entre católicos e protestantes naIrlanda. Em Nome do Pai é melhor e mais denso, mas OLutador não decepciona. Em Nome do Pai (In the Name of the Father).EUA/Irlanda, 1994. O Lutador (The Boxer). EUA/Irlanda, 1997.Distribuição Columbia. Nas lojas, R$ 39,90 (cada).

Agencia Estado,

25 de outubro de 2001 | 18h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.