Editor da "Variety" é acusado de racismo

Peter Bart, o poderoso editor da revista Variety, a "bíblia" de Hollywood, foi suspenso de seu cargo por causa de acusações que apareceram em uma matéria do Los Angeles Times. Conforme a reportagem, o executivo teria vendido pelo menos um roteiro em 1996, o que é proibido pela revista. Ainda, teria feito uma série de declarações racistas: "Existem os pretos da classe média e ospretos do gueto, que não sabem nem falar, não conseguem empregoe se enterram em sua atitude preta". De acordocom a matéria, um outro executivo da empresa teria dito queeles não contratariam mais homossexuais porque "eles ficamdoentes e morrem". Bart, que produziu filmes como OPoderoso Chefão e Chinatown, nega as acusações, mas ojornal diz que tem uma série de provas e gravações que garantema autenticidade das informações. A Variety disse que vaiinvestigar as acusações.

Agencia Estado,

20 de agosto de 2001 | 13h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.