É Tudo Verdade: documentário resgata a história de Pixote

"Fernando morreu sem ver Pixote até o fim. Ele dizia que se visse, a história dele iria acabar." A declaração é de Cida, mulher de Fernando Ramos da Silva, o eterno Pixote. Pois a história não só de Fernando, mas de Pixote - A Lei do mais Fraco, nunca esteve tão longe de acabar. É o que prova o documentário Pixote in Memoriam, que tem exibição hoje no É Tudo Verdade, no Cinesesc. O filme dirigido por Felipe Briso e Gilberto Topczewski refaz a trajetória deste que se tornou um filme-símbolo da infância violentada nas ruas das grandes cidades do Brasil. Mais que isso, Pixote in Memoriam também busca compreender quem foi realmente Fernando Ramos da Silva e o processo que o levou a entrar para a criminalidade e a ser executado pela polícia aos 19 anos. "A idéia surgiu quando fomos chamados pelo Babenco para realizar entrevistas com atores de Pixote para a edição comemorativa dos 25 anos do filme. Ficou claro que somente pequenas entrevistas não dariam a dimensão do que o filme significou", conta Briso, que tinha quatro anos quando o longa ganhou o mundo. Em tempos de ´falcões´, em que crianças portam fuzis, Pixote tem reforçada sua profética crítica social. "É um filme muito lírico. A realidade dos meninos que estão perto da criminalidade hoje é muito mais épica", sentencia Caetano Veloso. "Pixote ultrapassou a ficção. Depois do fim do filme, Babenco e a preparadora de elenco Fátima Toledo tentaram levantar verba na Secretaria da Cultura para transformar aquele evento isolado em grupo de estudos, para conduzir os garotos profissionalmente, mas a verba nunca veio", conta Briso. Para debater essa responsabilidade de Babenco e equipe sobre as crianças do filme, Briso e Topczewski ouvem os atores, conversam com Babenco, com Fátima Toledo, Marília Pera, dona Josefa, mãe de Fernando, e até Orlando Teixeira Marques, advogado da polícia. Destaque para a estranheza e encantamento da cena em que Babenco e elenco se reencontram para assistir ao filme. Pixote in Memoriam. Hoje, 21 horas. CineSesc. Rua Augusta, 2.075, 3082-0213.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.