'É difícil expressar sentimentos', diz Padilha sobre prêmio

Ao receber o Urso de Ouro do Festival de Berlim, diretor de 'Tropa de Elite' também agradece a Costa-Gavras

da Redação,

08 Fevereiro 2016 | 18h15

Ao receber o Urso de Ouro do Festival de Berlim, o diretor de Tropa de Elite, José Padilha, disse neste sábado, 16, ser difícil "expressar sentimentos em qualquer língua", segundo a agência de notícias France Presse. Padilha agradeceu ainda o diretor grego Costa-Gavras - que presidiu o júri desta 58ª edição - dizendo que ele "é um herói para todos na América Latina por todos os filmes que fez".   Veja Também:   'Tropa de Elite' leva o Urso de Ouro no Festival de Berlim Além de 'Tropa', mais três brasileiros levam prêmios em Berlim Opine: Você acha que 'Tropa de Elite' mereceu ganhar? Confira os vencedores do 58º Festival de Berlim  José Padilha fala à TV Estadão sobre ‘Tropa de Elite'  Trailer do filme Tropa de Elite 'Tropa de Elite', um fenômeno do cinema nacional 'Tropa de Elite' bomba na internet até depois de lançado Produtora estrangeira quer Tropa de Elite como minissérie   A premiação máxima do festival para Tropa de Elite surpreendeu porque o filme não estava na lista dos favoritos para levar o prêmio. O mais cotado era Sangue Negro, de Paul Thomas Anderson, que levou o prêmio de melhor diretor.  O Urso de Ouro ao filme de Padilha quebra um jejum de quase 10 anos para o Brasil. Em 1998, Central do Brasil, de Walter Salles, levou o prêmio em Berlim e Fernanda Montenegro, o Urso de Prata por sua atuação no filme.  

Mais conteúdo sobre:
Festival de Berlim Tropa de Elite

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.