E! demite cinegrafistas que invadiram casa de Brad Pitt

O ator Brad Pitt acusou um produtor e um cinegrafista da rede de televisão a cabo E! de ter entrado ilegalmente nos terrenos de sua casa em Hollywood Hills.Ambos estacionaram um furgão diante da casa em 20 de outubro, ignorando um letreiro que proibia a entrada e caminharam até a casa, quando foram vistos pelos pedreiros de uma obra, segundo Cindy Guagenti, representante de Pitt, no sábado. "Acreditamos que eles abriram o portão", disse.A emissora divulgou um comunicado condenando a atitude de seus funcionários e informando que eles já foram demitidos de seus quadros.O casal mais famoso de Hollywood não estava em casa. O ator de 42 anos se encontra atualmente filmando na Índia, acompanhado da mulher, a atriz Angelina Jolie, e de seus filhos. Pitt é o produtor do filme em que ela atua, sobre o assassinato do repórter americano Daniel Pearl, jornalista do Wall Street Journal assassinado no Paquistão.Assim que os funcionários da emissora voltaram ao furgão e se retiraram os pedreiros entraram em contato com os seguranças de Pitt, que comunicaram o incidente à polícia de Los Angeles, informou Guagenti.Um porta-voz da polícia disse que não tinha informações sobre o caso. "Que alguém entre em uma propriedade privada para filmar uma casa... Penso que é realmente um absurdo, Estamos analisando as alternativas legais que teremos", disse Guagenti.A rede de televisão E!, também conhecida como E!Entertainment Television, emitiu um comunicado negando ter autorizado tal procedimento, segundo informou o site da revista People."A rede de televisão E! não ordenou nem autorizou nenhum funcionário da emissora a entrar de maneira inadequada em uma propriedade privada, e os indivíduos implicados no caso já foram demitidos", diz a declaração."Apesar de nem o sr. Pitt nem sua família estarem em casa quando ocorreu o incidente, a cadeia de televisão não tolera de forma nenhuma ou incentiva tais condutas e gostaria de oferecer os mais sinceros pedidos de desculpas ao sr. Pitt e à sua família", assinala o comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.