É a vez do Grammy

É a banda considerada pelos críticos como a mais importante depois dos Beatles; também a que teve a turnê mais milionária em 2001. É liderada por Bono Vox, que estampa a capa da última revista Time, saudado como o "roqueiro que pode salvar o mundo". Não há dúvida que o U2 vai monopolizar também a 44.ª edição do prêmio Grammy, a ser entregue no começo da noite desta quarta-feura, em Los Angeles (o canal a cabo Sony transmiste a festa ao vivo no Brasil, a partir das 22 horas). Confira aqui a relação dos candidatos Confinados em edições passadas na categoria de música alternativa, na qual se abrigam hoje Björk, Garbage e Radiohead, os irlandeses do U2 agora concorrem a oito estatuetas, entre elas as duas mais importantes do evento: álbum e gravação do ano. Na verdade, o álbum All That You Can?t Leave Behind não é nem novidade no mercado. O U2 lançou-o em outubro de 2000, ou seja, duas semanas depois do término da elegibilidade para o Grammy de 2001.Mesmo assim, o single Beautiful Day, que saiu dentro do período oficial, conseguiu participar da edição passada do prêmio e deu ao grupo três estatuetas: gravação e canção do ano e melhor banda de rock. Se o U2 vencer pelo segundo ano consecutivo, vai igualar-se à performance de Paul Simon, que em 1986 e 1987 venceu, primeiro por seu álbum, Graceland, e depois pela gravação-título.Na categoria de World Music, na qual, desde 1998, se constata um monopólio da MPB (Milton Nascimento, Gilberto Gil, Caetano Veloso e João Gilberto foram os últimos quatro vencedores), o Brasil tem chances novamente com o álbum Gil & Milton. A inédita parceria entre os dois artistas concorre com os novos trabalhos da cantora de Cabo Verde Cesária Évora (o álbum São Vicente di Longe); da banda de "fusão global" Afro Celt Sound System (Volume 3: Further in Time); da banda indiana Remember Shakti (Saturday Night in Bombay) e do septuagenário músico indiano Ravi Shankar (Full Circle/Carnegie Hall 2000).Já a pianista paulista Eliane Elias concorre pela segunda vez ao Grammy no campo de jazz. Seu CD Impulsive! foi indicado para a categoria de melhor álbum de grande ensemble de jazz, numa parceira com Bob Brookmeyer e da Radio Jazz Orchestra. Eliane concorre com as jazz bands de Rob McConnell, Jim McNelly, Bob Mintzer e Nicholas Payton.Nas duas categorias principais do Grammy, o U2 tem concorrentes de peso, que podem ameaçar seu favoritismo. Na de álbum do ano, All That You Can?t Leave Behind concorre com Love and Theft, de Bob Dylan (recentemente considerado o melhor CD de 2001 por um painel de 622 críticos) e também com a trilha sonora de E Aí, Irmão, Cadê Você?, filme dos irmãos Coen que reúne nomes da música country e do bluegrass neglicenciados pelas grandes gravadoras, até eles venderem cerca de 3,9 milhões de álbuns no ano passado. Nessa mesma categoria, ainda concorrem Acoustic Soul, da cantora soul India.Aire; e Stankonia, da dupla de rappers OutKast.India.Aire e sua concorrente Alicia Keys (a imprensa já tratou de criar uma rivalidade entre esses dois novos nomes do soul e R&B, apesar de Alicia deter o hype) disputam a categoria de Gravação do Ano, respectivamente pelas faixas Video e Fallin?. Elas são as concorrentes mais fortes do U2, que nessa categoria disputa com o rock Walk On. Também disputam OutKast, com Ms. Jackson; e banda Train, com Drops of Jupiter.Na categoria de melhor novo artista, Alicia e India.Aire podem ser derrotadas pela cantora canadense e filha de portugueses Nelly Furtado. Há também o poder da banda Linkin Park, que detém o título de best sellers de CDs no ano passado. Com menos chances, aparece David Gray por último.A cerimônia desta quarta-feira à noite terá performances ao vivo do U2, Alicia Keys, ?N Sync (com Nelly), Alejandro Sanz, Bob Dylan, Dave Matthews Band e Nelly Furtado, entre outros. Um dos homenageados da noite, Billy Joel, ganha um tributo a ser encerrado por um dueto entre Tony Bennett e Joel, cantando New York State of Mind. Entre os apresentadores estarão Britney Spears, Diana Krall, Gwen Stefani, Gloria Estefan, Janet Jackson e Kid Rock.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.