Drew Barrymore brilha na frente e atrás das câmeras

A atriz Drew Barrymore, a menininha que se assustava com o divertido alienígena de ET - O Extraterrestre tornou-se uma profissional bem-sucedida também atrás das câmeras. Ela é co-produtora e estrela de Amor em Jogo, além de ter participado de todas as etapas de realização do filme. Mais do que um filme dos irmãos Farrelly, Amor em Jogo é um filme de produtor. Na verdade, de uma produtora, Drew Barrymore. O filme é uma adaptação livre de um romance do escritor inglês Nick Hornby, Febre de Bola. Amor em Jogo foi co-produzido pela empresa de Drew, a Flower Films, que tem no currículo outros grandes sucessos, como os dois títulos baseados no seriado As Panteras. O livro teve uma versão anterior com Colin Firth no papel principal e o futebol como paixão esportiva. No filme, Drew faz o papel de Lindsey Meeks, uma executiva em ascensão na empresa onde trabalha. Lindsey se apaixona por Ben Wrightman, interpretado por Jimmy Fallon, do programa Saturday Night Live, um remediado professor de ensino médio, louco pela profissão e viciado no time de beisebol Boston Red Sox. Amor em Jogo discute justamente como duas pessoa tão diferentes, não só na visão de mundo como nas paixões, conseguem manter uma relação. "Esse filme é uma história de amor", disse Drew Barrymore, em uma entrevista cedida pela Fox do Brasil especialmente para o JT. "Se tirarmos o beisebol, é sobre como temos de mudar e nos comprometer para mantermos um relacionamento. É sobre encontrar o equilíbrio e permitir que outra pessoa seja ele mesmo ou ela mesma." A escolha de Bobby e Peter Farrelly para a direção foi de Drew e sua sócia na produtora, Nancy Juvonen. Embora tenha sido considerada pelos críticos uma comédia romântica convencional, muito distante do humor escrachado e politicamente incorreto dos irmãos-diretores, o filme tem nas entrelinhas um pouco da corrosão de Quem Vai Ficar Com Mary? ou Eu, Eu Mesmo e Irene. Está nos diálogos, na construção de personagens como o casal de torcedoras lésbicas, na relação de Ben com seus alunos e na ligação entre o professor e seus amigos torcedores dos Red Sox. O tom convencional foi uma imposição. "Ela (Drew) nos ofereceu esse filme", contou Bobby Farrelly, em entrevista ao JT, por telefone, de Boston. "E, como produtora, ela é muito profissional e determinada, mas no set respondeu perfeitamente ao que pedíamos. Depois, quando tudo terminou, ela voltou a ser a produtora profissional e determinada". Aos 30 anos, Drew sente-se realizada. Depois de um início de carreira prematuro e confuso, hoje escolhe os projetos em que vai atuar e nos quais vai investir como produtora. Vive em Los Angeles com seus três cães. E está namorando Fabrizio Moretti, baterista dos Strokes.

Agencia Estado,

02 de setembro de 2005 | 15h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.