Dreamworks
Dreamworks

Downey defende blackface em Trovão Tropical como uma reflexão contundente sobre a hipocrisia de ator

O filme é estrelado por Ben Stiller, que também dirigiu e ajudou a escrever o roteiro, Downey e Jack Black, e apresenta uma participação especial de um quase irreconhecível Tom Cruise

Allyson Chiu, The Washington Post

23 de janeiro de 2020 | 08h00

Quando Robert Downey Jr. recebeu o telefonema sobre a probabilidade de atuar em Trovão Tropical, a paródia que Hollywood filmou em 2008, dirigida pelo ator-diretor Ben Stiller, o protagonista de Homem de Ferro entrou em conflito. 

Downey foi escalado para interpretar o personagem de Kirk Lazarus, um ator australiano cinco vezes vencedor do Oscar e submetido a um processo de “alteração de pigmentação” para interpretar um soldado negro no filme satírico que se passava dentro de um filme, e o trabalho teve um grande risco: o uso de blackface.



“Pensei: ‘Sim, farei isso. Farei isso depois de Homem de Ferro, disse Downey, de 54 anos, durante uma aparição recente no podcast The Joe Rogan Experience, relembrando sua conversa com Stiller. "E então eu comecei a pensar: “Ei, essa é uma ideia terrível”.

A hesitação de Downey foi breve.

“Pensei: ‘Espera aí, cara. Caia na real. Onde está seu coração?’”, disse em seu diálogo com Rogan, no início deste mês. “Eu posso me tornar negro por um verão em minha mente, então há algo nisso para mim. A outra coisa é que eu tenho que enfrentar o desafio da natureza da hipocrisia insana e preocupada apenas consigo mesmo, de artistas e o que eles acham que podem fazer ocasionalmente”.

Trovão Tropical recebeu críticas positivas por seus contundentes comentários sobre Hollywood, mas também gerou surpresa com seu rosto negro e atraiu críticas por retratar pessoas com deficiências mentais. As reflexões do ator sobre sua decisão de ingressar no elenco circularam, depois que o IndieWire noticiou no podcast.

No início da quarta-feira, o clipe de aproximadamente 11 minutos havia sido assistido quase 4,5 milhões de vezes e recebeu dezenas de milhares de comentários enquanto os fãs elogiavam a performance de Downey, que lhe rendeu sua primeira indicação ao Oscar em 2009.

 “Noventa por cento dos meus amigos negros disseram ‘Cara, isso foi ótimo’”, disse Downey.

 


Aparecendo no programa para promover seu novo filme, Dolittle, Downey se viu olhando para Trovão Tropical depois que o apresentador Joe Rogan perguntou se ele achava que o filme de 2008 - repleto de usos de um rótulo depreciativo associado a pessoas com deficiência mental - poderia ser feito hoje.

Trovão Tropical foi descrito por Ann Hornaday, do The Washington Post, como “uma sátira rude, grosseira e exagerada sobre filmes de ação rudes, grosseiros e exagerados” com um “senso de humor de sala de espelhos” certamente para “de fato eliminar os facilmente ofendidos mesmo antes que o filme - ou, mais precisamente, o filme dentro do filme começasse”. O filme mantém uma classificação de 81% no Rotten Tomatoes, um site que traz críticas online.

O filme é estrelado por Stiller, que também dirigiu e ajudou a escrever o roteiro, Downey e Jack Black, e apresenta uma participação especial de um quase irreconhecível Tom Cruise. No filme, os atores estão interpretando atores elencados em uma adaptação de grande orçamento sobre memórias da Guerra do Vietnã, mas as coisas mudam quando seu diretor (Steve Coogan) decide largá-los na selva com a esperança de obter desempenhos mais autênticos.

Downey disse a Rogan que sua mãe o alertou contra o papel de Lázaro, um ator metódico que em um ponto do filme diz: “Cara, eu não saio do personagem até ter feito o comentário para DVD”.

“Minha mãe ficou horrorizada”, disse Downey, antes de fazer uma imitação da mãe. “’Bobby, estou lhe dizendo, tenho um mau pressentimento sobre isso.’ Eu estava tipo ‘Sim, eu também, mãe.’”

Mas a decisão de Downey deu frutos quando ele recebeu indicações ao Oscar, ao Globo de Ouro e ao Screen Actors Guild Awards por sua atuação. Em entrevistas anteriores, Downey enfatizou que seu personagem era diferente de retratos mais flagrantes de blackface.

“No final das contas, o que vale é como você se compromete com o personagem”, disse ele à Entertainment Weekly em 2008. “Eu mergulhei com os dois pés. Se eu não sentisse que era moralmente correto ou que seria facilmente mal interpretado que sou apenas C. Thomas Howell (em Um Hippie nos Anos 90), eu teria ficado em casa.”

Na época, ele creditou “pessoas que têm uma mentalidade elevada o suficiente para não serem racistas ou ofensivas” pela capacidade do filme poder tocar numa linha tão fina, informou a Reuters.



No podcast de Rogan, este mês, o ator reiterou seus elogios às pessoas por trás do filme, principalmente Stiller.

“Ben, que é um artista e diretor magistral, é provavelmente a coisa mais próxima de Charlie Chaplin que já experimentei na vida”, disse Downey, comparando Stiller a outros grandes nomes do cinema, como David Lean e Francis Ford Coppola. “Ele sabia exatamente qual era a visão para isso e executou. Era impossível deixar de ser um pesadelo ofensivo de filme”.

Embora os amigos negros de Downey possam ter dito a ele que seu desempenho era aceitável, outros não compartilhavam dessa opinião. Um ensaio de 2009 na Root, uma revista online voltada para afro-americanos, criticou a indicação ao Oscar de Downey: “Um século depois do clássico de DW Griffith, O Nascimento de uma Nação, alguns brancos ainda acham que não há problema em aparecer com o rosto pintado de preto. Muitos se sentem empoderados na marcha para a América pós-racial. Uau, Nellie! Não está tudo bem! É desagradável, fácil e patético".

Abordando essas críticas, Downey disse: “Não posso discordar delas, mas sei onde estava meu coração. Nunca é uma desculpa para fazer algo que está fora do lugar e não do seu tempo, mas para mim tratava-se apenas de colocar um dispositivo explosivo.”

Rogan observou que Trovão Tropical provavelmente seria o último filme desse tipo, citando recentes controvérsias envolvendo o uso de blackface que provocaram uma condenação feroz de figuras públicas, incluindo o primeiro-ministro canadense Justin Trudeau, que enfrentou críticas no ano passado depois que surgiram imagens dele aparecendo com maquiagem de negro quando ele era mais jovem.

"É uma meditação interessante e necessária: onde está o pêndulo? Por que o pêndulo está certo?” Disse Downey. “Mas, novamente, há uma cláusula moral aqui neste planeta e existe um preço alto a se pagar. Eu acho que ter uma psicologia moral é o primeiro trabalho; então, às vezes, você precisa dizer: ‘Sim, eu subi.’ Mais uma vez, não em minha defesa, mas Trovão Tropical era sobre o quão errado isso é, então sou contra.”

O ator enfatizou a seriedade com que assumiu o papel, dizendo a Rogan que ele revisou suas falas “mil vezes” antes de filmar.

“Era um trabalho que eu estava fazendo, e eu me preocupava em fazê-lo da maneira mais profissional e honesta possível”, disse ele.

Tradução de Claudia Bozzo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.