Dogma Feijoada leva curta inaugural à África

O documento já fez aniversário de um ano. Agora, a obra que foi submetida a seus itens está terminada e prestes a estrear dentro da mostra competitiva de um festival internacional. Está se falando do manifesto Gênese do Cinema Brasileiro ou Dogma Feijoada e de seu filme inaugural, o curta-metragem Distraída para a Morte, ambos concebidos pelo cineasta Jeferson De, diretor de Paixão e Gênesis 22. O Dogma Feijoada, manifesto de sete itens que sintetizam a discussão acerca da imagem do negro no cinema brasileiro, é fruto dos estudos realizados pelo cineasta em 1997 e 1998, na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Lá, Jeferson desenvolveu a pesquisa Diretores Cinematográficos Negros Brasileiros.A reportagem assistiu, em primeira mão, ao filme que representará o Brasil no Festival Panafricano de Cinema de Ouagadougou (Fespaco). O tradicional festival cinematográfico negro, cuja próxima edição terá início no dia 24, é realizado a cada dois anos desde 1969. Ouagadougou é a capital de Burkina Faso, país localizado na região oeste da África. Distraída para a Morte concorre com dez títulos norte-americanos e um da Martinica ao Prêmio da Diáspora."O primeiro ponto é que a participação no festival prova que há negros fazendo filmes no Brasil. O outro é que, uma vez lá, poderei estar em contato com outros realizadores e saber mais dos modos de produção de seus respectivos países. Quero saber como os norte-americanos conseguem inscrever dez títulos, por exemplo", diz Jeferson, lembrando que sua visita será pautada pela divulgação de projetos dele e de outros membros do Dogma Feijoada. "Não sou líder de nada, é uma palavra desgastada, mas pode-se dizer que estou, quando muito, na vanguarda do movimento."Leia mais

Agencia Estado,

22 de fevereiro de 2001 | 10h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.