Documentário traz história do candomblé

Um documentário realizado pelo cineasta Walter Lima retrata uma das principais personagens do candomblé, Agenor Miranda da Rocha, e através dele conta sua história. Pai Agenor, como é conhecido, tem 94 anos. Um Vento Sagrado tem fotografia de Mário Cravo Neto, narração de Othon Bastos e será lançado em Salvador, no dia 13 e em São Paulo, no dia 20.Pai Agenor nasceu em Luanda, em 1907 e sua formação começou no famoso Ilé Axé Opô Afonjá, um dos candomblés mais antigos de Salvador e conviveu com celebridades deste universo na Bahia, como Mãe Menininha do Gantois, entre outros. Figura respeitada no ambiente religioso, quando morre uma mãe-de-santo, nos grandes candomblés da Bahia, terminado o prazo das obrigações fúnebres, é ele que faz o jogo durante o qual Ifá, o Orixá da adivinhação indica a sucessora.Depois de mais de três anos de viagens, pesquisas, entrevistas e gravações nas cidades de Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo e Roma, o cineasta Walter Lima apresenta a biografia de Pai Agenor. Filho de pai diplomata e mãe cantora lírica, mudou-se para Salvador ainda criança e depois viveu muitos anos no Rio de Janeiro, onde foi professor de língua e literatura portuguesas do Colégio Dom Pedro II, durante 47 anos. Como poeta, ele foi amigo de Cecília Meirelles, tendo recebido elogios da escritora. No documentário seus poemas ganham vida nas vozes dos atores Fernando Pinto, Alessandra Negrini, Bel Kutner, Ingra Guimarães, Camila Amado, entre outros.Um Vento Sagrado - Documentário de Walter Lima, com lançamento em Salvador , no dia 13, às 20h30, no Teatro Diplomata, em Patamares e em São Paulo, no daí 20, às 21 horas, no Espaço Unibanco de Cinema, na Rua Augusta, 1470.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.