Divulgação
Divulgação

Documentário sobre Sebastião Salgado é o destaque nos cinemas

Longa retrata trajetória do fotógrafo brasileiro; veja outras estreias

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

26 Março 2015 | 10h54

Cinderela

Kenneth Branagh faz a revisão de Cinderela na versão live action do conto dos irmãos Grimm. Lily James, da série Downton Abbey, e Richard Madden, de Game of Thrones,. formam o par romântico, mas o que o filme tem de mais forte é a participação de Cate Blanchett como a madrasta. Cate deve ter-se inspirado em Bette Davis. Quanto mais malvada, melhor.

O Sal da Terra

O documentário de Juliano Ribeiro Salgado e Wim Wenders sobre o pai do primeiro, o grande fotógrafo Sebastião Salgado, foi premiado em Cannes, no ano passado, e concorreu ao Oscar. Comporta múltiplas leituras - é o retrato de um pai pelo filho (Juliano), o retrato de pai e filho por um artista sensível (Wenders fez Paris, Texas). Melhor de tudo. O 'Tião' fotógrafo você provavelmente conhece. Prepare-se para descobrir o ambientalista que criou com a mulher, Lélia, o Instituto Terra.

 

Eduardo Coutinho, 7 de Outubro

Carlos Nader entrevistou o grande documentarista para um projeto social do Sesc. Seriam 15 minutos de conversa, viraram cinco horas que o diretor teve o maior trabalho para editar. O brutal assassinato de Coutinho pelo filho, em fevereiro de 2014, deu ao trabalho uma dimensão que não estava nos planos. Coutinho, grande entrevistador, é entrevistado. O filme entra em cinco capitais - Rio, São Paulo, Brasília, Porto Alegre e Curitiba - também sai em DVD (no selo Sesc).

Em Um Pátio de Paris

Desiludido com a banda de rock, Gustave Kervern vai trabalhar como zelador de um prédio decadente e fica amigo da aposentada Catherine Deneuve. A eterna Bela da Tarde foi redescoberta pelo público francês. Desde Potiche - Esposa Troféu, de 2010, todos seus filmes têm feito ótimas bilheteria. O diretor e roteirista Pierre Salvadori escreve na embocadura dos atores. Melhor para todos.

O Garoto da Casa ao Lado

O diretor Rob Cohen, de Triplo X e do primeiro Velozes e Furiosos, faz aqui o seu Atração Fatal. Divorciada e mãe de um adolescente, Jennifer Lopez tem um tórrido affair com um vizinho jovem. Quando tenta colocar fim à história, ele pira. Jennifer já pegou em armas contra o marido que batia nela em Nunca Mais. E aqui?

No Meio do Rio, entre as Árvores

Jorge Bodanzky volta à Amazônia, de onde tirou uma obra-prima semidocumental - Iracema, Uma Transa Amazônica -, e dá voz aos jovens que integram as comunidades ribeirinhas. A garotada participou de oficinas de fotografia e vídeo para documentar a própria vida. Interessante, mas meio institucional do projeto TV Navegar.

Ponte Aérea

O trailer é meio morno, mas o filme de Júlia Rezende com Caio Blat e Letícia Colin é o Todas as Mulheres do Mundo do 3.º Milênio. Grafiteiro carioca envolve-se com executiva paulista. Bem escrito, dirigido e interpretado, o filme é uma graça que vale prestigiar (ou descobrir).

Vício Inerente

O melhor filme de Paul Thomas Anderson desde Embriagado de Amor baseia-se no livro de Thomas Pynchon. Uma viagem muito louca à Los Angeles de 1970. Sexo, drogas e paranoia galopante. Acredite - se Joaquin Phoenix é muito bom, Josh Brolin consegue ser, pelo menos aqui, melhor que ele.

Marcas da Água

Um aqueduto na China e o delta do rio Colorado, nos EUA, são duas locações desse documentário que discute a ligação da humanidade com a água. O tema tem tudo a ver com a crise hídrica que assola o País, e além da atualidade o filme tem a excelência da direção de Jennifer Baichald e Edward Burtinsky.

Happy Happy

O garoto da casa ao lado 2. Agnes Kittelsen não desanima nem quando o marido desiste de fazer sexo com ela porque não a acha mais atrativa. A chegada de novos vizinhos - e de um cara bacana, que terá olhos para ela - vai mudar toda essa história. A produção é norueguesa e o filme de Anne Sevitsky recebeu diversos prêmios através do mundo.

Rocky Um Lutador

O primeiro da série com Sylvester Stallone ganhou os Oscars de filme, direção e roteiro (e quem escreveu foi o próprio Sly). Zé Ninguém adquire notoriedade ao vencer campeão de boxe. Cópia nova, nos trinques, nos clássicos restaurados do Cinemark. Embora não seja 'clássico' de verdade, é cult.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.