Documentário sobre Aldo Moro emociona Veneza

O cineasta Marco Bellocchio emociona Veneza com seu documentário sobre o assassinato de Aldo Moro pelas Brigadas Vermelhas, em 1978, aplaudido de pé pela platéia. O filme de Bellocchio, cineasta italiano de 63 anos, Buongiorno Notte (Bom dia, noite), foi apresentado hoje no Festival de Cinema de Veneza e concorre ao Leão de Ouro.Os acontecimentos históricos são contados através dos olhos de uma fictícia seqüestradora, membro das Brigadas Vermelhas chamada Chiara, interpretada por Maya Sansa, baseado em depoimentos de uma mulher que foi de fato membro das Brigadas, além de outros textos históricos utilizados na realização do filme. Na realidade, as autoridades italianas se negaram a negociar com os terroristas, e depois de 55 dias, Moro, presidente da Democracia Cristã, foi encontrado morto dentro de um carro.O filho de Aldo Moro, Giovanni, escreveu uma carta a Bellocchio, para elogiar o filme dedicado ao seqüestro de seu pai. "A questão é como eu vivi, naquele caso e somente nele, em que o Estado italiano decidiu não tratar com os terroristas nem tentar seriamente libertar o prisioneiro", escreveu o filho do estadista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.