Documentário sobre Al Gore alerta sobre situação ambiental

O ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore, protagonista de um filme da seleção oficial do Festival de Cannes, alertou neste sábado a comunidade internacional sobre a necessidade urgente de tomar medidas para evitar uma catástrofe ecológica definitiva.O planeta passa por um momento extremamente delicado, provocado pela intervenção humana e seus efeitos climáticos, mas ainda não alcançou um ponto sem retorno, e o desaparecimento da humanidade ainda pode ser evitado, disse Gore.O ex-vice-presidente disse que se trata de uma questão "ética" e "moral", mais do que política. Gore acrescentou que é preciso agir rápido, antes que aconteça uma catástrofe.Sustentou que nos EUA, o problema é que há muitos interesses influenciando no sistema político, como indica o título do filme, "An Inconvenient Truth" (Uma verdade inconveniente), dirigido por Davis Guggenheim.Segundo os dados científicos reunidos pelo ex-vice-presidente, a geração atual pode enfrentar conseqüências da devastação ecológica e agradeceria as reações tomadas a tempo para evitá-la.Esta é a dupla mensagem, de alerta e otimismo, defendida por Al Gore.A solução proposta por Gore passa por despertar a opinião pública, que seria capaz de provocar as mudanças políticas necessárias para que medidas sejam tomadas. Para isso, o ex-vice-presidente tenta esclarecer a situação ambiental atual, usando como exemplo o furacão Katrina, que destruiu Nova Orleans em agosto de 2005.O filme tem estréia mundial prevista para a semana que vem, e em breve deve se transformar em um livro, que será traduzido para vários idiomas.Há anos o ex-vice-presidente apresentava sua tese em conferências, nos EUA e no exterior.Foram necessários quatro produtores para que os dados se transformassem no documentário apresentado neste sábado em Cannes, que terá duas versões, uma para os EUA e outra para o resto do mundo, qualificado por um crítico como "incrível, aterrorizante e importante".No filme, Gore aparece como conferencista e evoca alguns momentos importantes de sua vida, como a morte de sua irmã.Sobre as circunstâncias que mudaram sua carreira política em 2000, Al Gore disse ter virado a página e, apesar de estar em evidente campanha ecológica pelos EUA e pelo mundo, afirmou que não pensa em ser candidato novamente.O ex-vice-presidente acrescentou que "não há ninguém que possa fazê-lo mudar de opinião", sem nenhuma "nostalgia" do que poderia ter sido, pois encontrou outras formas de servir ao país e ao mundo que lhe dão prazer."Acho que hoje minha melhor missão é fazer a opinião pública nos Estados Unidos evoluir sobre a questão (ambiental)", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.