Disputa pelo Oscar 2008 de melhor ator promete ser acirrada

Daniel Day-Lewis, imbatível em seu papel em 'Sangue Negro', e Johnny Depp estão entre os mais cotados

Teresa Ribeiro, Marina Ramos e Bianca Pinto de Lima, do estadao.com.br

08 Fevereiro 2024 | 20h14

As apostas indicam que Daniel Day-Lewis é imbatível em seu papel como magnata do petróleo em Sangue Negro, mas também destacam Johnny Depp em sua sexta parceria com o diretor Tim Burton, como um barbeiro sanguinário, ou o papel de Viggo Mortensen entre anjo e exterminador em Senhores do Crime. Ou seja, disputa difícil marca a 80.ª edição do Oscar na categoria de melhor ator.   Veja também: Os indicados ao Oscar 2008 Enquetes populares apontam 'Juno' como preferido para Oscar Confira a lista completa dos indicados ao Oscar 2008 Assista aos trailers dos principais indicados       Daniel Day-Lewis   Considerado quase um "ator patológico", Daniel Day-Lewis é famoso por escolher poucos e bons papéis. Desta vez, um dos pioneiros da indústria do petróleo em uma história violenta que também ocorre na chamada América Profunda. Em entrevista ao jornal The Guardian, Lewis diz que não é este louco que todos acreditam ser. Diz que gosta de levar sua vida reclusa no interior da Irlanda porque o faz lembrar de sua infância feliz. Escolha nada ruim para um astro de Hollywood cujos hobbies são pregar paralelepípedos nas ruas e tirar férias para aprender a ser sapateiro em Florença.   Day-Lewis já ganhou um Oscar por Meu Pé Esquerdo em 1990 e já foi indicado por Em Nome do Pai (1993), Gangues de Nova York (2002) e agora Sangue Negro (2007).   Sua atuação em Sangue Negro já vem lhe rendendo frutos. Foi premiado este ano pelo Sindicato dos Atores (SAG) dos EUA, ganhou o Globo de Ouro, de melhor ator dramático e recebeu o Bafta, o Oscar britânico.         Viggo Mortensen   Senhores do Crime, de David Cronenberg, entrou na disputa pelo Oscar este ano com apenas uma indicação: melhor ator para Viggo Mortensen. O ator, nascido em Manhattan e filho de um comerciante dinamarquês e de uma dona de casa americana, iniciou sua carreira com a produção A Testemunha, em 1985. A partir daí, atuou em mais de 20 filmes, porém nenhum de grande sucesso.   A carreira de Viggo ganhou destaque com produções como em Até o Limite da Honra, Psicose e 28 Dias, mas o ator só estourou no mundo do cinema com a trilogia de O Senhor dos Anéis. Na saga, ele representou o herói Aragon.   Em Senhores do Crime, Viggo vive Nikolai, um homem misterioso, cheio de tatuagens e que pode ser considerado tanto anjo da guarda, quanto exterminador. O ator já havia trabalhado com o diretor Cronenberg em Marcas da Violência (2005).       Johnny Depp   Famoso por sua versatilidade, Johnny Depp realiza sua sexta parceira com o diretor Tim Burton no musical Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet, que lhe rendeu a indicação para melhor ator no Oscar 2008. O filme concorre ainda nas categorias melhor direção de arte e figurino.   O ator do eterno Edward Mãos de Tesoura (1990) nasceu na pequena cidade de Owensboro, em Kentucky, e se não fosse escolher o cinema como profissão, escolheria a música. Aos 16 anos, Depp montou uma banda de rock na qual era o guitarrista. Até hoje o ator se interessa por música, tanto que já participou de dois discos do Oasis. É casado com a cantora francesa Vanessa Paradis, com quem tem dois filhos, e mora na França.   Johnny Depp também atuou em Don Juan de Marco, Chocolate e no remake de A Fantástica Fábrica de Chocolate. Um de seus personagens mais queridos, no entanto, é o capitão Jack Sparrow, de Piratas do Caribe.   Em Sweeney Todd, Depp vive o barbeiro Benjamin Barker que é mandado para a prisão por falsas acusações. Quando sai da cadeia, já com a identidade de Sweeney Todd, decide armar sua vingança contra o juiz que o arruinou.     Tommy Lee Jones   O ator Tommy Lee Jones atua em dois filmes indicados ao Oscar 2008: Onde os Fracos não Têm Vez e No Vale das Sombras, com o qual concorre na categoria Melhor Ator. Jones interpreta Hank, um pai que vive na procura do paradeiro de seu filho Mike, um soldado do exército norte-americano que sumiu sem dar explicações, nesta produção de Paul Haggis (Crash - No Limite, vencedor do Oscar de 2006).   Nascido no Texas, o ator carrega um grande número de produções no cinema e na TV. Jones já foi indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, por JFK - A Pergunta Que Não Quer Calar (1991), filme de grande destaque em sua carreira, e ganhou por O Fugitivo (1993).       George Clooney   Revelado nos corredores assépticos da série Plantão Médico, Clooney logo se tornou um dos atores mais importantes de Hollywood, tanto por suas escolhas de projetos - inclusive como diretor, em longas como Boa Noite, e Boa Sorte e Confissões de Uma Mente Perigosa - como por sua postura política. Seu papel em Conduta de Risco é considerado por muitos críticos o melhor de sua carreira. Ele ganhou o Oscar de melhor ator coadjuvante em 2006, por seu desempenho em Syriana.   O ator interpreta Michael Clayton, um advogado especializado em fazer o serviço sujo de um grande escritório de advocacia em Nova York. Quando é chamado para controlar um advogado instável que ameaça um caso milionário de sua firma, Clayton começa a questionar seus princípios éticos.

Mais conteúdo sobre:
Oscar 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.