Emily Berl/The New York Times
Emily Berl/The New York Times

Disney volta atrás e encerra veto a jornalistas do 'Los Angeles Times'

Embargo da empresa em relação ao jornal começou após uma reportagem investigativa sobre parques na Califórnia

EFE

08 de novembro de 2017 | 10h07

LOS ANGELES - A Disney encerrou nesta terça-feira, 7, o criticado veto imposto a jornalistas do Los Angeles Times como resposta a uma reportagem sobre um dos parques temáticos da empresa na cidade de Anaheim, na Califórnia.

"Tivemos discussões produtivas com a nova direção do Los Angeles Times sobre nossas preocupações específicas e, como resultado, acertamos restabelecer o acesso de seus críticos de cinema aos nossos filmes", afirmou um porta-voz da Disney à Variety.

+ Beyoncé é confirmada no elenco de versão com atores de 'O Rei Leão'

A polêmica teve início na sexta-feira, quando o Times, jornal mais importante da Califórnia e um dos principais do país, informou seus leitores que a Disney não tinha convidado os jornalistas do veículo para assistir antecipadamente filmes que vão estrear no Natal por causa de uma "cobertura injusta dos laços comerciais da empresa em Anaheim".

O jornal citava uma reportagem assinada por Daniel Miller, publicada no dia 24 de setembro, sobre as relações entre a Disney e o governo de Anaheim. A cidade fica a cerca de 40 quilômetros de Los Angeles e é sede de um dos famosos parques temáticos da empresa.

Como resposta, a Disney afirmou em comunicado que costuma trabalhar com jornalistas de todo mundo e que nem sempre está de acordo com o que é publicado. No entanto, disse que, nesta ocasião, o "Los Angeles Times mostrou completo menosprezo pelos padrões básicos do jornalismo".

A empresa defendeu que compartilhou com o jornalistas e seus editores "vários fatos indiscutíveis" e disse que, apesar disso, o jornal deu sequência a uma reportagem "tendenciosa e pouco exata", que estava "totalmente motivada por razões políticas".

+ Pré-venda para ‘Star Wars: Os Último Jedi’ já está disponível

Quatro associações de críticos de cinema dos EUA divulgaram um comunicado nesta terça-feira no qual denunciavam a medida da Disney e afirmaram que os filmes da empresa ficariam "desclassificados" das tradicionais premiações distribuídas por eles neste ano.

"As ações da Disney são antiéticas com os princípios da imprensa livre e estabelecem um perigoso precedente em tempos de elevada hostilidade contra os jornalistas", indicou a nota assinada pela Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, pelo Círculo de Críticos de Cinema de Nova York, pela Sociedade de Críticos de Cinema de Boston e pela Sociedade Nacional de Críticos de Cinema.

Além disso, o jornal The New York Times afirmou que também não assistiria às exibições antecipadas de filmes da Disney até que os jornalistas do Los Angeles Times voltassem a ser convidados.

A Asssociação de Críticos de Televisão publicou um comunicado no qual disse entender que as credenciais para a cobertura desse tipo de evento são um "privilégio e não um direito", mas condenou que a Disney adotasse medidas de sanção contra os jornalistas por fazerem seu trabalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.