Etienne Laurent/ EFE
Etienne Laurent/ EFE

Disney revela prejuízo causado por pandemia mas número de assinantes de streaming aumenta

A gigante do entretenimento informou que faturou 11,8 bilhões, metade do que arrecadou no mesmo período do ano passado

Redação, AFP

05 de agosto de 2020 | 07h43

A Walt Disney Company anunciou nesta terça-feira, 4, que seu resultado trimestral foi fortemente atingido pelo fechamento dos parques temáticos e cancelamento de cruzeiros devido à pandemia do coronavírus, enquanto as assinaturas do serviço de streaming cresceram.

A gigante do entretenimento informou que faturou 11,8 bilhões, metade do que arrecadou no mesmo período do ano passado. "Apesar dos desafios da pandemia, mantivemos o incrível sucesso do Disney+, à medida que aumentamos nossos negócios globais oferecidos diretamente ao consumidor", assinalou o CEO da Disney, Bob Chapek, ao divulgar os resultados do trimestre fiscal encerrado em 27 de junho.

A empresa conta com mais de 100 milhões de assinantes pagos, o que Chapek considerou um "marco significativo", que valida a decisão da Disney de transmitir seu cobiçado conteúdo diretamente para as residências. Isto inclui 57,5 milhões para a rival da Netflix Disney+, cerca de 35 milhões para o Hulu e 8,5 milhões para seu serviço de esportes ESPN+.

A receita do terceiro trimestre fiscal foi afetada pela pandemia, devido ao fechamento dos parques temáticos e resorts e à interrupção dos cruzeiros, informou a empresa, com sede na Califórnia.

A Disney também reportou um aumento de gastos devido ao lançamento de seus serviços online, o que provocou um prejuízo operacional de 706 milhões de dólares.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.