Diretor prepara documentário sobre Luís Gonzaga

O triunfo internacional de Sertão das Memórias, do diretor José Araújo, começou no Sundance Festival de 1997, quando ele conquistou o prêmio máximo na categoria "filme latino". Um mês depois, ele seria mais uma vez consagrado. Receberia, no Fórum de Berlim, o Prêmio Wolfang Staudtee (no valor de 20 mil marcos), destinado a obras que promovem investigação de novas linguagens e temas cinematográficos. Seguiram-se três menções honrosas: uma em Toulouse, na França, e duas em Friburgo, na Suíça. No Cine Ceará de 1997, o filme conquistou o prêmio principal (no valor de US$ 40 mil) e a consagração do júri popular. Em seguida, ganhou a Margarida de Prata, da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). Depois, o filme representou o Brasil em mostras informativas em Nova York, São Francisco, Washington, Jerusalém e Melbourne. Nada mal para uma produção de baixíssimo orçamento (US$ 370 mil). Há, ainda, outro detalhe importante ligado à história do longa de estréia de Araújo. Quando a crítica norte-americana promoveu levantamento de cem longas-metragens de grande importância, esquecidos pelo mercado exibidor da maior potência cinematográfica do mundo, Sertão das Memórias estava lá (na companhia de Jean-Luc Godard, Abbas Kiarostami e outros nomes europeus, asiáticos e latinos). Trajetória - José Araújo ia ser padre. Entrou para o seminário, fez seus estudos de teologia, até decidir abandonar a vida religiosa. Foi estudar nos Estados Unidos. Acabou envolvido com cinema. Tornou-se exímio técnico de som, radicado em Los Angeles, colaborador de filmes como Minha Família, de Gregory Nava (produção de Francis Ford Coppola) e de títulos da fase americana do alemão Percy Adlon. O ex-seminarista alimentava o sonho de dirigir seu primeiro longa. Havia feito dois médias e firmara prestígio como técnico cinematográfico. Em suas visitas à família, no município de Miraíma, interior do Ceará, teve a idéia de realizar Sertão das Memórias. Trabalhou com gente do lugar (além dos pais, uma galeria de rostos marcados pelo sol causticante do sertão). Quando terminar As Tentações de São Sebastião, obra ficcional, José Araújo vai concluir Luiz Lua Gonzaga, documentário de longa-metragem sobre o Rei do Baião, concebido em parceria com o cantor e compositor cearense, Raimundo Fagner.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.