Diretor do premiado <i>Happy Feet</i> apostava em <i>Carros</i>

O diretor australiano George Miller não escondia sua surpresa por carregar o Oscar de melhor filme de animação por Happy Feet: O Pingüim. "Ao chegar ao teatro, eu até cumprimentei John Lasseter (diretor de Carros) porque todos apostavam em sua vitória, eu inclusive", disse ele, mais conhecido por dirigir filmes com atores vivos como Mad Max e Bruxas de Eastwick. A experiência o deixou motivado, especialmente por trabalhar com atores de uma nova forma. "Com Cameron Diaz e George Clooney, por exemplo, o que me interessava era a interpretação de suas vozes, não de seus corpos", disse ele, lembrando da importância crescente atingida pelas produções animadas. "Trata-se de uma espécie de cinema que interfere até nos filmes considerados tradicionais", afirmou. "Afinal, como considerar a força de O Senhor dos Anéis sem o trabalho de animação?" Apesar de ter gostado da experiência, Miller disse que, em seu próximo projeto, vai retornar ao tradicional, ou seja, com atores em ação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.