Diretor do Oscar promete não fazer censura política

Os temores de que o atraso programado na transmissão ao vivo do Oscar poderia significar censura a discursos de caráter político são infundados, disse na terça-feira o produtor e diretor da apresentação do Oscar na TV, Joe Roth. A transmissão do Oscar, no próximo dia 29, vai ser atrasada em cinco segundos, a fim de que a rede ABC possa cortar cenas como a de Janet Jackson, que ficou com o seio à mostra ao vivo na TV há dois domingos. Roth deu a garantia de que não haverá censura a posíveis declarações políticas durante o almoço anual dos indicados ao Oscar, realizado ontem em Beverly Hills. "No almoço dos indicados ontem, disse a eles que quando subirem ao palco, estarão sob o microscópio por causa dos eventos recentes", disse ele. Ao ser perguntado se a ABC cortaria cenas de declarações políticas, ele disse que "não, isso se aplica somente ao uso da profanidade".

Agencia Estado,

11 de fevereiro de 2004 | 12h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.