Eric Gaillard/Reuters
Eric Gaillard/Reuters

Diretor do Festival de Cannes critica rivais por cederem muito facilmente a filmes da Netflix

Para Thierry Frémaux, plataformas de streaming prejudicaram a recuperação do resto do setor

Sarah White e Michaela Cabrera, Reuters

06 de julho de 2021 | 07h31

Thierry Frémaux, diretor do Festival Internacional de Cinema de Cannes, criticou eventos rivais nesta segunda-feira, 5, dizendo que alguns cederam muito facilmente a filmes feitos por gigantes do streaming em suas competições principais sem aplicar regras rígidas – e que isso prejudicou o cinema.

Plataformas como a Netflix prosperam durante a pandemia de covid-19 e já receberam vários dos maiores prêmios, enquanto estúdios e salas de exibição passam dificuldade porque as restrições de coronavírus fecharam cinemas e levaram mais espectadores para a internet.

Cannes, que é a maior vitrine mundial da sétima arte e começa na Riviera Francesa na terça-feira, 6, está em choque há tempos com empresas de streaming, insistindo em lançamentos nas salas de exibição da França para qualquer filme selecionado para competir por sua maior honraria cinematográfica.

O diretor do festival, Thierry Frémaux, disse aos jornalistas nesta segunda-feira, 5, que os organizadores se atêm às regras.

"2019 foi um grande ano para o cinema. Depois 2020 foi o ano mais catastrófico da história do setor", afirmou Frémaux aos jornalistas.

Ele acrescentou que a crise ajudou plataformas como a Netflix a conquistarem uma "vitória merecida", mas deixou o resto do setor com poucos meios para reagir.

Netflix e rivais como a Amazon se tornam uma força formidável no mundo do cinema, e agora recrutam grandes diretores, como Martin Scorsese, para fazer filmes exibidos por pouco tempo.

Não foi possível contatar a Netflix de imediato para obter comentários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.