Jeon Heon-Kyun/EFE
Jeon Heon-Kyun/EFE

Diretor de cinema Koji Wakamatsu morre após ser atropelado em Tóquio

Cineasta era conhecido por seus trabalhos com alto conteúdo violento, erótico e político

EFE

18 Outubro 2012 | 09h47

O polêmico diretor de cinema japonês Koji Wakamatsu faleceu na noite desta quarta-feira, 17, em um hospital de Tóquio, no qual se encontrava desde sexta-feira, 12, após ser atropelado por um táxi, informou a agência Kyodo.

O diretor, vencedor do Urso de Ouro de melhor filme no Festival de Berlim de 2008 por Exército Vermelho Unido, era conhecido por seus trabalhos com alto conteúdo violento, erótico e político.

Aos 76 anos, o diretor não conseguiu recuperar-se dos graves ferimentos sofridos na cabeça e nas costas por conta do atropelamento, segundo fontes policiais consultadas pela Kyodo.

Com extensa filmografia, Wakamatsu estreou no cinema em 1963 com uma produção para adultos, Amai Wana, após permanecer durante anos como assistente de direção em séries de televisão.

O erotismo e a violência dos seus filmes, no contexto da crítica política, levaram-no a ganhar o respaldo dos jovens ligados aos movimentos estudantis de esquerda no Japão.

Wakamatsu ganhou o respeito da crítica internacional em 1982, quando lançou Mizuno Nai Puuru (Uma Piscina sem Água).

Em 2010, um filme seu, Caterpillar (2009), foi premiado com o Urso de Prata de melhor atriz pelo papel de Shinobu Terajima, enquanto seu último trabalho, Sennen no Yuraku (O Rapto do Milênio), participou do Festival de Veneza deste ano.

Mais conteúdo sobre:
Koji WakamatsuatropeladoTóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.