Diretor alemão vencedor do Oscar elogia filme de Del Toro

Horas antes do início da cerimônia do Oscar, o mexicano Guillermo del Toro encontrou-se com o alemão Florian Henchel von Donnersmarck e cada um revelou sua surpresa com o filme do outro. No final da noite, o grandalhão Donnersmarck parecia ainda maior, tamanha sua felicidade pela vitória de A Vida dos Outros, derrotando o suposto favorito O Labirinto do Fauno como melhor filme estrangeiro. "Minha surpresa se justifica pelo fato de Guillermo merecer todos os prêmios possíveis", disse o cineasta alemão. "Ele consegue transmitir muita paixão em filmes protagonizados por personagens terríveis." Aclamado como um olhar inteligente e honesto sobre como a polícia secreta da Alemanha Oriental despedaçava vidas, o filme de Donnersmarck estreou no momento em que os alemães sentem-se nostálgicas pela Alemanha Oriental e começam a glorificar o passado comunista. "Trata-se de uma aventura cinematográfica, mas creio também em sua importância histórica", disse. Perguntado sobre a comparação entre as técnicas de persuasão do serviço secreto alemão daquela época e as utilizadas pelo setor de segurança do atual governo de George W. Bush, o cineasta foi incisivo. "A grande e vital diferença é que hoje ainda temos liberdade para denunciar o que está acontecendo de errado. Sempre haverá injustiça, sempre haverá abuso de poder enquanto existir poder, mas, enquanto pudermos gritar contra isso, já será um grande ponto a favor."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.