"Dicionário de Cineastas" é relançado

Rubens Ewald Filho lança amanhã a nova edição do seu Dicionário de Cineastas. A última surgiu há 14 anos. Ewald Filho deu uma atualizada e tanto. Mudou a editora (a Companhia Editora Nacional em vez da L&PM), manteve o tamanho, mas diminuiu o corpo e aumentou o número de páginaspara acomodar todas as novidades que está oferecendo. A maiordelas: o dicionário incorpora agora diretores brasileiros aosdiretores internacionais.Procure por Glauber Rocha, Nelson Pereira dos Santos, osnumerosos Oliveiras (Domingos, Denoy e Xavier, além de Manoel,mas aí não é mais um cineasta brasileiro); estão todos lá.Procure, entre os estrangeiros, por autores que se estabeleceramnos últimos anos. François Ozon, por exemplo. Também está lá.Justamente Ozon. A noite de autógrafos será seguida poraquilo de que Rubinho mais gosta: uma sessão de cinema. Aescolha do filme não poderia ter sido mais feliz: 8 Mulheres, de Ozon, com Catherine Deneuve, Isabelle Huppert, EmmanuelleBéart, Fanny Ardant e Danielle Darrieux, propõe, sob a aparênciade um inconseqüente policial repleto de números musicais, umjogo lúdico para cinéfilos. Há mais referências e citações em8 Mulheres do que em qualquer outro filme recente que setenha notícia. Veja o filme, compre o livro e divirta-se comambos.Desde que surgiu a última edição anterior doDicionário de Cineastas, Rubinho nunca deixou de ser cobradopor amigos e fãs, que lhe exigiam a atualização do volume.Também cobravam dele o seu projeto de escrever um Dicionáriode Cineastas Brasileiros. Rubinho resolveu incorporar estesegundo ao anterior. Atualizou as filmografias, os verbetes. Ode Federico Fellini ficou muito maior e mais completo. E, depoisde Adrian Lyne, que encerrava a letra L, Jonathan Lynn foiincorporado ao livro. São apenas alguns de muitos exemplos quepoderiam ser citados. O verbete de Robert Altman chega atéAssassinato em Gosford Park, o de Krszystof Kieslowski tambémganha em fôlego e informação e foram acrescentados os nomes deAlexandr Sokurov e Hirokazu Kore-eda, diretor do genial Depoisda Vida.Para acomodar tantas novidades, Rubinho aumentou onúmero de páginas e cortou dez diretores que já estavam no livroanterior. A atualização será feita via internet, no site:www.eaprender.com.br/cinema. Já começou: o site acrescenta a data de morte de George Sidney, que Rubinho não pôde incluir no livro. É um belo trabalho. Resulta de uma pesquisa séria e cumpre o objetivo a que o autor se propôs. Como fã de cinema, ele queria ter um dicionário com informações sobre diretores.Como não havia um no País, Rubinho radicalizou: escreveu o dele.Na abertura, Rubinho dedica o Dicionário de Cineastas aRubem Biáfora e Carlos M. Mota. Acrescenta que, sem este último,o trabalho não teria sido possível. Nós, que também amamoscinema, agradecemos aos dois.Dicionário de Cineastas. De Rubens Ewald Filho. Editora Nacional. 800 páginas. R$ 45,00. Amanhã, a partir das 19 horas. A compra do livro dá direito a dois ingressos para assistir, às 22 horas, à pré-estréia de "8 Mulheres", de François Ozon. Unibanco Arteplex/ Shopping Frei Caneca. Rua Frei Caneca, 569, tel. (110 3472-2365.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.