"Diários de Motocicleta" está a caminho do Oscar

Independentemente da indicação de Olga para concorrer ao prêmio de melhor filme estrangeiro, o Brasil pode ser representado no Oscar por Diários de Motocicleta, de Walter Salles, que começa a fazer carreira nos EUA e surge como um possível candidato dos próprios americanos. Se isso acontecer, será um feito semelhante ao de Cidade de Deus, de Fernando Meirelles, este ano.Diários de Motocicleta estreou na semana passada em duas salas de Nova York e uma de Los Angeles, faturando US$ 160 mil e fez 25 mil espectadores no primeiro fim de semana. O número bate as bilheterias iniciais de Fale com Ela, de Almodóvar, e O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, do francês Jean-Pierre Jeunet, que são os filmes estrangeiros de maior sucesso no mercado americano. Mais importante, são os elogios que o filme tem recebido das platéias americanas. A revista Hollywood Reporter, em texto de 24 de setembro, coloca a motocicleta de Salles (e Che Guevara) na rota para a consideração dos votantes da academia. Em trânsito para o México, o diretor enviou uma declaração ao Estado. "A quebra do recorde de bilheteria para filmes estrangeiros no fim de semana de estréia nos EUA foi uma surpresa. O boca-a-boca proveniente das exibições nos festivais de Sundance e Toronto se somou às boas críticas nos principais jornais americanos e isso acabou tendo um impacto maior do que se poderia imaginar. Agora, é difícil prever o que vai acontecer daqui para a frente, quando aumentar o número de cópias. Certo mesmo é que quase 3 milhões de espectadores já viram Diários em 12 países e ainda faltam 50 para o filme estrear." No fim de semana, Diários ganhou o prêmio do público no Festival de San Sebastián, repetindo a aceitação de Central do Brasil, em 1998. Prudentemente, o diretor evita avaliar as chances de seu filme no Oscar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.