Depp testa popularidade com "A Janela Secreta"

Não importa o papel que ele faça, o quarentão Johnny Depp sempre atrai multidões - principalmente de mulheres - ao cinema. Seja na pele de um meio-robô abobalhado (Edward, Mãos de Tesoura), seja como um agente corrupto (Era Uma Vez no México) e até mesmo como o afeminado e decadente pirata de Piratas do Caribe. Talvez pela sua cativante atuação nesse filme da Disney - que lhe rendeu indicação ao Oscar de Melhor Ator, Depp deverá atrair muita gente a partir de hoje, quando estréia A Janela Secreta, do diretor David Koepp, que escreveu o roteiro de Homem-Aranha e O Quarto do Pânico.O excêntrico ator - que tirou o fôlego de muitas colegas de Hollywood até sossegar e se casar com a cantora e atriz Vanessa Paradis, com quem tem dois filhos - interpreta o ex-famoso escritor Mort Rainey, cuja inspiração sumiu desde que ele pegou sua esposa no flagra com outro homem e se separou. Rainey dorme o dia todo, raramente troca de roupa, come salgadinhos no almoço e no jantar e parece que nunca penteia os cabelos quase loiros. Seu sossego acaba quando John Shooter (John Turturro) - um caipira de sotaque ligeiramente forçado do Mississippi - bate em sua porta acusando-o de plágio. Mort já plagiou vários autores, mas justo o conto ao qual Shooter se refere foi escrito por ele mesmo. Mas a única forma de provar é por meio de uma revista que está em poder de sua ex-mulher (Maria Bello), que mora com o amante.A Janela Secreta é mais um filme adaptado de obras do escritor Stephen King. Por isso, Koepp aproveitou para colocar o personagem de Depp em uma casa no subúrbio de Nova York, cercada por um lago e sob absoluto silêncio noturno, ótimo cenário para lâmpadas se quebrarem, ruídos surgirem no quarto etc. Ninguém nunca viu esse tal de Shooter, só Rainey. A partir desse fato é que começa a se desdobrar a conclusão do filme. Johnny Depp estava tão bem no recente Piratas do Caribe que é impossível não lembrar do pirata lesado que usava maquiagem nos olhos e tinha tiques nervosos. Rainey também tem suas esquisitices e, mesmo em uma cena de suspense, faz caretas tão típicas de Johnny Depp que é impossível não rir. É infalível. Mesmo oxigenado, despenteado, mal vestido e meio perturbado, o ator vai atrair multidões para ver esse filme. Porque, como Rainey, Johnny Depp é excentricamente único.

Agencia Estado,

16 de abril de 2004 | 15h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.