Depois de acusações de abusos sexuais, Harvey Weinstein é expulso da Academia do Oscar

Depois de acusações de abusos sexuais, Harvey Weinstein é expulso da Academia do Oscar

Em nota, a organização afirmou sobre o escândalo envolvendo o produtor: "o que está em questão aqui é um problema profundamente preocupante que não tem lugar em nossa sociedade" 

Reuters

14 Outubro 2017 | 19h20

LOS ANGELES - A Academia do Oscar expulsou o produtor Harvey Weinstein neste sábado, 14, depois de alegações de que ele aessediou ou estuprou várias mulheres nas últimas três décadas. A Academia disse em um comunicado que seu conselho “votou bem acima da necessária maioria de dois terços exigidos para expulsá-lo imediatamente da Academia”. 

A expulsão da organização mais prestigiada da indústria cinematográfica segue as denúncias relatadas pelo The New York Times e The New Yorker de várias mulheres que Weinstein intimidou ou agrediu sexualmente em casos que datam desde a década de 1980. 

Weinstein, 65, negou ter tido sexo não consensual com qualquer uma. Ao anunciar a decisão de expulsar Weinstein, a Academia disse que também estava fazendo uma mensagem mais ampla. “Fazemos isso não apenas para nos separar de alguém que não merece o respeito de seus colegas, mas também para enviar uma mensagem de que a era da ignorância voluntária e vergonhosa cumplicidade no comportamento sexualmente predatório e no assédio no local de trabalho em nossa indústria acabou”, disse a academia. "O que está em questão aqui é um problema profundamente preocupante que não tem lugar em nossa sociedade." 

Mais conteúdo sobre:
Harvey Weinstein

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.