Paramount
Paramount

Depois de 11 anos, 'Beavis e Butt-Head' está de volta com filme e episódios inéditos da série

Os personagens que estouraram na década de 1990 na MTV retornam para um longa e uma nova temporada da série que estreia esta semana

Entrevista com

Mike Judge, animador e criador da série 'Beavis e Butt-Head'

Dave Itzkoff, The New York Times

01 de agosto de 2022 | 15h19

Existem certos sons que evocarão para sempre a década de 1990 na nossa memória coletiva. O riff de guitarra de abertura de Smells Like Teen Spirit, do Nirvana. Os barulhinhos de uma conexão discada. A risada áspera e persistente de Beavis e Butt-Head.

Os cabeçudos preguiçosos dos desenhos animados eram uma parte onipresente daquela década, impulsionados à fama por Beavis e Butt-Head, da MTV. Na série animada, os dois amigos vagavam por sua suburbana cidade natal, faziam estragos na escola e assistiam a videoclipes reais na televisão, fornecendo um fluxo constante de comentários cômicos e desdenhosos (pontuados por suas risadas peculiares).

Beavis e Butt-Head foi uma criação de Mike Judge, animador pouco conhecido na época (com formação em matemática, física e engenharia). A série, para a qual ele forneceu as vozes dos personagens-título e muitos outros, estreou em 1993 e rendeu o filme de sucesso Beavis e Butt-Head na America, em 1996. Mas Judge se cansou do ritmo implacável da produção; a série terminou em 1997, e ele passou a fazer outros programas de TV como O Rei do Pedaço e filmes como O Insustentável Peso do Trabalho.

Agora, depois de um longo hiato (e um breve revival de uma temporada em 2011), Judge trouxe Beavis e Butt-Head de volta. Os personagens retornaram no filme Beavis e Butt-Head: Detonam o Universo, que foi lançado em junho na Paramount+. E novos episódios da série de TV serão lançados em 4 de agosto, alguns dos quais os encontram como os adolescentes de sempre, outros que os retratam como idiotas de meia-idade - mais velhos, mas não mais sábios.

Embora tenha experimentado uma ampla gama de sentimentos a respeito de Beavis e Butt-Head ao longo dos anos, Judge, agora com 59 anos, passou a achar os personagens infinitamente resilientes e divertidos. “Os melhores episódios são aqueles em que você só diz qual é a situação e as pessoas já começam a rir”, disse Judge numa entrevista por vídeo no mês passado. “Com os melhores, dá para explicar em duas ou três frases. É só encontrar as oportunidades para os personagens serem engraçados”.

Judge falou mais sobre seus esforços exaustivos para fazer o Beavis e Butt-Head original, o retorno do programa e seus outros planos para os personagens. (Alguém aí falou em filme de live-action?). Aqui vão trechos editados dessa conversa.

‘Beavis e Butt-Head’ parecia um programa que poderia ter continuado para sempre. Por que a tentativa original chegou ao fim?

Às vezes eu me faço essa mesma pergunta. Era um relacionamento meio tenso com a MTV, e estávamos fazendo muitas coisas muito rápido. Começou a melhorar no final. Mas, quando concordei em fazer o filme, eu tinha outra temporada no meu contrato e disse: “Faço o filme se vocês me liberarem disso”. Se tivéssemos feito num ritmo mais lento, onde não estivéssemos fazendo setenta episódios por ano, talvez eu tivesse continuado por mais tempo. Eu queria sair antes que ficasse muito ruim e fosse para o chão. Sinto que fiz isso, o que fez com que eu me sentisse bem ao voltar.

Sua apreciação por Beavis e Butt-Head como personagens foi afetada pelo sentimento ruim no final da série?

Fiquei com um gosto ruim na boca por um tempo depois que acabou. Estava muito feliz por ter acabado. Estava fazendo O Rei do Pedaço, mas especialmente depois de ter feito O Insustentável Peso do Trabalho, teve uma época em que, de vez em quando, eu via um clipe ou algo assim e dizia: “uau, esses personagens eram muito bons”. Acho que, quando funcionou, funcionou muito bem. Eu ia fazer uma sequência do filme por volta de 2001 ou 2002.

Como seria essa sequência?

Tive várias ideias diferentes. Uma delas foi meio que o começo deste filme, com o acampamento espacial. Mas eu tinha outra, onde alguém tentava recrutá-los para uma missão suicida com a promessa de 72 virgens. Não foi para frente, felizmente.

Felizmente mesmo. O que convenceu você a voltar para ‘Beavis e Butt-Head’ agora?

Eu estava cansado de Silicon Valley e tinha um outro programa que estava prestes a acontecer que não aconteceu. Dois ou três anos atrás, fiz uma pequena introdução de Beavis e Butt-Head para a banda Portugal. The Man, para seu show no Coachella. Eu não fazia as vozes tinha muitos anos e pensei: “oh, ainda sai igual naquela época. Talvez seja divertido fazer de novo”. Originalmente, seria apenas um filme e possivelmente live-action, e então eles disseram que queriam a série também.

Espere aí, você disse “live-action”?

Sim, um live-action de Beavis e Butt-Head para a Paramount, o estúdio de cinema, que ainda pode acontecer. Em certo ponto, teve uma ideia de que Beavis e Butt-Head seriam animados num mundo de live-action. Avançamos um pouco nesse rumo. E tivemos uma sessão de casting, tipo dois anos atrás, só para fazer Beavis e Butt-Head adolescentes. Não correu como eu esperava.

Você teve medo de que 'Beavis and Butt-Head' não conseguisse traduzir os anos 2020 como fizera com os anos 1990?

Quando o programa começou, a MTV era só juventude e modernidade, e eu já estava chegando aos trinta anos, morando no subúrbio, tinha um filho. Não era uma pessoa descolada e me lembro de pensar: “não vou tentar fazer personagens descolados”. Pauly Shore estava na moda na MTV e tinha todas as frases da moda da Califórnia, e eu estava tentando não ter bordões, deliberadamente. Tinha uma conversa sobre “as camisetas do AC/DC e do Metallica - não deveria ser Nirvana e Pearl Jam ou algo mais novo?”. Eu nem ia tentar competir com nada disso.

Você sente que tem uma certa filosofia por trás dos novos episódios?

Está divertido fazer esses episódios em que eles são de meia-idade. Quando eu era adolescente, apareceu o Caddyshack - Clube dos Pilantras. Rodney Dangerfield era popular e tinha quase 60 anos. Ele não estava tentando ser jovem e moderno - era só um velho engraçado, e tem alguma coisa no Beavis e Butt-Head de que eu gosto pelo mesmo motivo. Eles são só dois velhos idiotas.

Existem episódios em que eles são adultos?

Sim, tem um em que eles são chamados para um júri e são os piores jurados de todos os tempos. Trazemos Stewart de volta como um cara de meia-idade também, porque ele é doador de rim para Beavis. Talvez seja um dos meus Beavis e Butt-Head favoritos. / TRADUÇÃO DE RENATO PRELORENTZOU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.