Divulgação
Divulgação

Depois da descoberta, história de 'Meu Passado Me Condena 2' trata de reconquista

Como filme, é imperfeito, mas há uma química de elenco que funciona

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

30 de junho de 2015 | 04h00

Júlia Rezende é uma diretora que adora os relacionamentos. Todos os seus filmes tratam de casais. Meu Passado Me Condena 1 e 2 e, entre ambos, Ponte Aérea. Meu Passado estreou em 400 salas e alcançou 3,5 milhões de espectadores. Meu Passado 2 vai estrear em 600 salas e há expectativa de que fature mais. OK, o desempenho de público não é o único nem o melhor critério da avaliação de um filme. Querem a prova? Ponte Aérea, o melhor filme de Júlia, fez 36 mil espectadores, mísero 1% do total de Meu Passado 1.

Meu Passado era um filme de descoberta. O casal embarcava num cruzeiro e, na lua de mel, afloravam as diferenças que marido e mulher tentavam administrar. No 2, Fábio Porchat e Miá Mello estão casados há três anos e já deu para perceber que as diferenças são maiores do que pareciam naquele primeiro mês de casamento. As diferenças permitiram que marido e mulher se decepcionem um com o outro. Ela pede um tempo, ele a convence a embarcar em outra viagem – sua avó morreu em Portugal e lá se vai o casal.

Não para Lisboa, mas para uma cidadezinha murada no interior do país. Portugal, meu avozinho. A cidade real é murada, nelas moram seis (seis!) pessoas – para a cena da festa foi preciso angariar habitantes nas vilas e cidades vizinhas. É outro filme sobre casal, ou melhor, casais, no plural. Além de Fábio e Miá, existe a namorada de infância dele, ligada ao administrador das terras do avô. E um terceiro casal, os amigos brasileiros e trambiqueiros de Fábio e Miá, que agora possuem uma funerária em Portugal.

Depois da descoberta amorosa no primeiro filme, a marcha a ré, o retorno às origens, a Portugal, coloca outra questão – a reconquista. É curioso que Walter Salles já tenha feito como drama esse caminho de volta – em Terra Estrangeira –, que Júlia Rezende refaz como comédia. Mas isso é a história, a trama, não o tema de Meu Passado 2. O tema está contido numa frase – não importa que o casamento seja imperfeito. O importante é que seja com você, quem quer que seja (cada um tem seu você). Como filme, Meu Passado 2 também é imperfeito, mas quer saber? Há uma química do elenco que funciona. Imperfeito como é, o filme tem charme.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.