Paul Buck/EFE
Paul Buck/EFE

Dennis Hopper ganha estrela na Calçada da Fama

Hollywood homenageia os mais de 50 anos de carreira do ator e diretor de clássicos como 'Easy Rider'

Agências Internacionais,

26 de março de 2010 | 18h01

Dennis Hopper já é parte permanente de Hollywood. Com um curativo na testa e com aparência bem frágil, o ator e cineasta de 73 anos foi homenageado nesta sexta, 26, com uma estrela na Calçada da Fama. 

 

Trata-se de um reconhecimento de Hollywood aos  mais de 50 anos de carreira do ator e diretor na história do cinema norte-americano, com papéis notáveis ao lado de James Dean em "Rebelde Sem Causa" de 1955, ou em "Easy Rider" de 1969, "Apocalypse Now" de 1979 e "Blue Velvet" de 1986.

 

Hopper, que padece de um câncer de próstata, foi ajudado por um amigo a subir ao cenário. O ator explicou que seus curativos eram resultado de uma queda que sofreu um dia antes na frente de sua casa.

 

Hopper agradeceu a Hollywood: "este tem sido meu lugar e minha escola", afirmou. "Me deu uma vida que nunca havia imaginado sendo um menino vindo de Dodge City, no Kansas", disse Hopper. "Tudo o que aprendi em minha vida aprendi com vocês e com o maravilhoso mundo por onde viajei... Tive tudo de vocês. Só quero agradecer a todos, isso significa muito para mim", disse, acompanhado de alguns membros de sua família e alguns produtores de estúdios hollywoodianos.

 

Jack Nicholson, Viggo Mortensen, David Lynch e Dwight Yoakam foram alguns dos astros do cinema que assistiram à homenagem ao amigo.

 

Segundo informou esta semana seu advogado, Joseph Mannis, Hopper se encontra em estado terminal, o que deve impedir que compareça à audiência sobre o divórcio de sua esposa, Victoria, com quem foi casado por 14 anos, no próximo dia 5. Ele pediu o divórcio em janeiro.

 

Cerca de 200 pessoas com suas máquinas fotográficas assistiram e registraram a cerimônia de 30 minutos no Boulevar de Hollywood. A estrela de Hopper, com o número 2.403, está diante do Teatro Egípcio. 

Mais conteúdo sobre:
Dennis Hopper

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.