David Lynch receberá Leão de Ouro em mostra de Veneza

A Bienal de Veneza, presidida por Davide Croff, aceitou a proposta de Marco Müller, diretor do Festival de Veneza, de atribuir ao diretor norte-americano David Lynch o Leão de Ouro por sua carreira na 63.ª Mostra Internacional de Arte Cinematográfica, que acontece em Veneza de 30 de agosto a 9 setembro.O anúncio foi feito em uma nota da própria Bienal. O prêmio será dado ao diretor em 6 de setembro, em ocasião da noite de gala para a projeção de seu novo filme, Inland Empire, na Sala Grande do Palazzo del Cinema.De acordo com a nota, David Lynch é um dos diretores que mais influenciou o imaginário contemporâneo, com seu estilo visionário e inquietante, seguindo um percurso artístico coerente com os limites da indústria hollywoodiana e fascinando, com o seu experimentalismo, também o grande público.Lynch é indicado como o precursor do novo cinema independente norte-americano, tendo aberto caminho para diretores como os irmãos Coen, Jim Jarmush, Spike Lee, Quentin Tarantino e, fora dos Estados Unidos, Jane Campion, entre outros. Dentre os grandes admiradores de Lynch estão Stanley Kubrick e Bernardo Bertolucci.Kubrick possuía uma cópia de Eraserhead - o filme que em 1977 revelou Lynch para a crítica mundial -, que projetava periodicamente em sua vila na Inglaterra, afirmando que era o único filme de outro diretor que ele gostaria de ter dirigido.Já Bertolucci, presidente do júri do Festival de Cannes de 1990, que muitos indicaram como o verdadeiro inspirador do veredicto que assegurou a Palma de Ouro a Coração Selvagem, ressaltou, na época, como o filme de Lynch possuía uma força "impressionante".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.