Daniel Day-Lewis e Marion Cotillard recebem os prêmios Bafta

Daniel Day-Lewis aumentou suas chancesde Oscar no domingo ao receber o Bafta de melhor ator nacerimônia de entrega dos prêmios da Academia Britânica deCinema pelo retrato de um empresário do petróleo obsessivo em"Sangue Negro". A atriz francesa Marion Cotillard foi a grande surpresa danoite, ao receber o troféu de melhor atriz pelo papel dacantora Edith Piaf em "Piaf -- Um Hino ao Amor". O drama romântico "Desejo e Reparação" ficou com o Bafta demelhor filme. Day-Lewis, já visto como um dos favoritos para conseguir umOscar, enfrentou a concorrência acirrada do astro de HollywoodGeorge Clooney em "Conduta de Risco" e de James McAvoy por seupapel protagonista em "Desejo e Reparação". Famoso pela preparação intensiva que faz para seus papéis,Day-Lewis já ganhou um Oscar de melhor ator em 1989 por suaperformance comovente em "Meu Pé Esquerdo", em que fez um homemque sofre de paralisia cerebral. Ele ficou famoso por continuara agir como o personagem enquanto estava no set, mesmo quandoas câmeras não estavam filmando. A veterana Julie Christie era a favorita absoluta dosapostadores, que acreditavam nela para o troféu de melhoratriz, pelo papel de uma doente de Alzheimer em "Longe Dela".Mas quem ganhou no final foi Cotillard. Dominada pela emoção ao fazer seu discurso de aceitação, aatriz francesa disse: "Uau! Uau! Uau! Esta foi a aventura maisincrível. Amei cada segundo das filmagens". "Desejo e Reparação", que liderou em número de indicaçõesao Bafta, tendo recebido 14, não ganhou nenhum dos troféusprincipais de atuação, mas recebeu o cobiçado Bafta de melhorfilme, dando ao público britânico algo que aplaudir. A britânica Tilda Swinton recebeu o Bafta de melhor atrizcoadjuvante por "Conduta de Risco", e o troféu de melhor atorcoadjuvante ficou com o francês Javier Bardem por sua atuaçãono sombrio western contemporâneo "Onde os Fracos Não Têm Vez". O filme também valeu aos irmãos Joel e Ethan Coen o Baftade melhor diretor. O dramaturgo Ronald Harwood recebeu o prêmio de melhorroteiro adaptado por "O Escafandro e a Borboleta", dramatizaçãoda autobiografia de Jean-Dominique Bauby, que ficou totalmenteparalisado com a exceção de seu olho esquerdo. Diablo Cody ganhou o Bafta de melhor roteiro original por"Juno", comédia sobre uma gravidez adolescente, que também temchances de Oscar em 24 de fevereiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.