Curta do brasileiro Eduardo Valente concorre em Cannes

O filme O Monstro, do diretor brasileiro Eduardo Valente, é um dos dez concorrentes à Palma de Ouro de curta-metragem do Festival de Cannes, que começou no último dia 17 e será encerrado neste domingo.O diretor brasileiro já conquistou, em 2002, o prêmio principal da Cinéfondation com seu primeiro curta, além de já ter apresentado sua segunda produção, em 2003, na seção paralela da Quinzena dos Produtores.Em O Monstro, Valente apresenta uma história de 13 minutos na qual um policial investiga as causas de um acidente ferroviário que deixa vários mortos.Com seu filme, ele procura surpreender o espectador, "que espera uma coisa diferente do vê na tela", disse o brasileiro à EFE."Meus filmes são muito diferentes uns dos outros". Além disso, O Monstro não tem relação alguma "com o longa-metragem que preparo", pois "gosto muito de aprender coisas novas e abordar temas diferentes", declarou."Não posso pensar em prêmios, pois estar aqui já é um grande prêmio e uma emoção", disse à EFE o diretor, que já conta com o apoio da produtora de Walter Salles para rodar seu primeiro longa, que tem a estréia garantida em Cannes pelo fato de o diretor ter conquistado o prêmio principal da Cinéfondation.Além do brasileiro, os outros curtas que disputam a Palma de Ouro são Banquise - de Cédric Louis e Claude Barras (Suíça)-, Conte de Quartier - de Florence Miailhe (Canadá) -, Film Noir - de Osbert Parker (Reino Unido) -, Nature´s Way - de Jane Shearer (Nova Zelândia) -, Ongeriewe - de Robin Kleinsmidt (África do Sul) -, Poyraz - de Belma Bas (Turquia) -, Sexy Thing - de Denie Pentecost (Austrália) -, Sniffer - de Bobbie Peers (Noruega) - e Primera Nieve - de Pablo Aguero (Argentina).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.