Curta brasileiro representa o País no Festival de Xangai

O Brasil está representado no Festival Internacional de Cinema de Xangai com Catador de Latas (2005), um curta-metragem fora de competição escrito e dirigido pelos jovens Tiago Arakilian e Roberto Thomé.O curta, de dois minutos e meio, "explica a realidade de como uma pessoa excluída pode chegar a tirar proveito da sociedade de consumo através do lixo, dos resíduos desse mesmo consumo", explicou à EFE Roberto Thomé, que também é diretor de fotografia da obra.O filme, rodado em 35 milímetros e co-produzido com ajuda do Ministério da Cultura brasileiro, chega à China após sua passagem pelo Festival de Cinema Latino-americano de Biarritz (França).No Festival de Xangai, que está nesse ano em sua 9.ª edição, o curta-metragem está sendo projetado dentro da seção "Panorama", uma mostra total de 746 filmes de mais de 50 países.Thomé é um jovem autor, e qualificou a oportunidade de participar deste festival como "muito boa, porque permite viajar para o outro lado do mundo para conhecer pessoas espetaculares, falar com diferentes diretores", e até mesmo entregar cópias de suas produções a autores e produtores consagrados. "Além disso, é muito bom saber que nossas idéias estão sendo vistas e repercutindo nas cabeças das pessoas do outro lado do mundo", afirmou. Thomé também se disse fascinado pela amabilidade e curiosidade do povo chinês e ficou surpreso por ter que dar autógrafos e tirar fotografias com fãs chineses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.