Curta brasileiro ganha prêmio gay no festival de Berlim

'Tá' é uma metáfora de cinco minutos de duração sobre a sexualidade e a intimidade no meio gay

Efe,

08 Fevereiro 2014 | 23h33

O curta Tá, do brasileiro Felipe Sholl, ganhou um dos prêmios Teddy, concedidos anualmente pelo Festival de Berlim às melhores produções de temática gay selecionadas para o certame. O prêmio foi divulgado nesta quinta-feira, 14.   Tá, uma metáfora de cinco minutos de duração sobre a sexualidade e a intimidade no meio gay, é a estréia de Sholl na direção de filmes.   Outra produção agraciada com o Teddy foi o longa islandês The Amazing Truth About Queen Raquela, que narra as desventuras de uma transexual filipina que sonha em encontrar um namorado ocidental.   Na categoria documentário, o prêmio foi para o filme alemão Football Under Cover, que narra a organização de um jogo de futebol feminino entre uma equipe iraniana e outra de Berlim.   Já o Teddy do júri foi para Be Like Others, uma co-produção entre Estados Unidos, Canadá e Irã que relata o complicado processo para uma operação de mudança de sexo neste último país.

Mais conteúdo sobre:
Berlinale

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.