Curta brasileiro é exibido em Cannes

Os brasileiros Juliana Rojas e Marco Dutra apresentarão hoje o filme O Lençol Branco, entre os curtas-metragens da Cinefundação, no Festival de Cannes. Primeiro curta da sessão de hoje, O Lençol Branco é "um filme muito duro, sobre uma mulher que perde seu bebê repentinamente e fica uma noite com o cadáver (...) confrontada com a desgraça repentina", disse o selecionador da Cinefundação, Laurent Jacob. É um filme "extremamente perturbador", com o qual os autores sabem transmitir a angústia da protagonista diante da morte. As sessões da Cinefundação começaram quarta-feira e permitem que jovens e promissores cineastas - cinco deles latino-americanos - apresentem seus curtas e subam as famosas escadas vermelhas do Palácio do Festival.Entre os filmes programados para os dois dias de sessão na Sala Buñuel, está El Violín, do diretor mexicano Francisco Vargas Quevedo. Também foi apresentado ontem o filme cubano El Espino, do diretor chileno-espanhol Théo José Court Bustamente, inspirado em três pessoas: um adulto, uma jovem deficiente e um idoso, que vivem na terra desértica e ameaçada onde nasceram.Dois filmes de escolas do Reino Unido e um de EUA, Polônia, França, e Israel também foram exibidos ontem na oitava edição da Cinefundação, que recebeu 1.200 curtas - 200 a mais que no ano passado -, vindos de escolas de cinema de todo o mundo.Todos os selecionados são jovens "promissores que têm personalidade e uma visão nada convencional, nem fabricada. Sentem coisas e as expressam de forma muito simples. Não buscamos coisas tecnicamente virtuosas. Tentamos encontrar obras originais que nos falem e das quais lembraremos por muito tempo", disse Jacob.A Argentina trouxe para essa sessão oficial En La Oscuridad, de Marcelo Charras e Juan Manuel Rampoldi, e da Colômbia veio La Cerca, de Ruben Mendoza, que fala da violência entre as facções do país.Com 23 anos, o mais jovem dos 18 autores é o americano Antonio Campos, de pai brasileiro, que trabalha em Nova York e trouxe "o filme mais moderno da fundação", Buy It Now, sobre a menina que vendeu a virgindade pela Internet.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.