Cruise e Penélope chegam às telas com "Vanilla Sky"

Passado o clima sóbrio pós-atentadosterroristas, passada a temporada de megafilmes infantis e com o público cansado de referências patrióticas no cinema, Vanilla Sky estréia esta semana nos Estados Unidos com chances de se tornar um dos maiores sucessos dos últimos tempos entre o público adulto. O novo trabalho de Cameron Crowe (de Quase Famosos e JerryMaguire) não só tem atrativos de sobra (fotografia incrível, tramaexcitante, elenco de primeira) como também chega embalado pela polêmica de bastidores: quem é que não vai querer ver o filme que serviu para reunir Tom Cruise e Penélope Cruz?Vanilla Sky começou a chamar atenção muito antes de chegar às telas. Depois do relativo fracasso nas bilheterias de De Olhos BemFechados, a indústria de Hollywood estava de olho nos passos seguintes de Cruise. A reunião com Crowe, com quem ele tinha trabalhado em Jerry Maguire, foi vista como um passoacertado. O projeto, um remake do thriller espanhol Abra Los Ojos, também pareceu uma boa escolha. Na fase inicial, ninguémdeu muita atenção para a escolha de Penélope, até então conhecida pelo papel de uma freira grávida em Tudo Sobre Minha Mãe, de PedroAlmodóvar.Durante as filmagens em Nova York, no fim do ano passado, Vanilla Sky começou a dar o que falar: uma série de cenas foram feitasnas ruas, em pontos turísticos como o Central Park e a região de Times Square. A produção conseguiu uma autorização inédita parafechar alguns dos mais visitados pontos de Manhattan: para a filmagem de uma cena de Cruise correndo na Broadway foramesvasiadas cerca de 20 quadras na região de Midtown. Já avizinhança de Dumbo, no Brooklyn, teve acesso restrito por nadamenos do que duas semanas. Foi uma verdadeira festa para ospapparazzi.Com a notícia do divórcio de Cruise e Nicole Kidman, e aconseqüente confirmação da ligação entre o ator e Penélope,Vanilla Sky virou o filme mais aguardado do ano. Crowe soubeaproveitar elegantemente a situação, dizendo que os dois"personagens" realmente se apaixonaram durante as filmagens daprodução.Mas, felizmente, o filme não tem apenas o hype das fofocas.Apesar de Quase Famosos não ter virado o sucesso esperado,Crowe mostrou que é um dos grandes diretores de Hollywood, comuma visão mais fresca atualmente. Suas referências pop, a paixãopela música e um senso estético moderno e pouco afetadocontribuíram bastante para a nova versão do thriller espanhol.Como ele mesmo gosta de dizer, Vanilla Sky é um "cover" deAbra Los Ojos. E não é todo dia que um filme cheio de personalidade reúne Tom Cruise, Cameron Diaz, Russell Crowe,Penélope Cruz e até Steven Spielberg, fazendo uma participaçãoespecial.Para o diretor, o filme faz "uma radiografia profunda dosignificado do amor e do sexo no novo milênio". Na história,Cruise faz o papel de David Aames, um bem-sucedido bon-vivantnova-iorquino que tem tudo o que sempre sonhou. Sua vida étransformada quando ele conhece Sofia (Penélope) em uma festa, esua namorada, Julie (Diaz), resolve suicidar-se.Servindo como apoio para a história está uma das produções maischeias de identidade dos últimos tempos, uma produção para láde nova-iorquina. Para o escritório de David, por exemplo, foiusada a sala do poderoso editor da revista Vanity Fair, noedifício da editora Condé Nast, em Times Square, o endereço maiscobiçado da cidade. O personagem teve um universo cuidadosamentedesenhado com obras de arte cheias de referências pop e umfigurino que inclui peças de Helmut Lang. Na trilha sonora,Radiohead, R.E.M. e Paul McCartney.O web site oficial do filme, no endereçowww.vanillasky.com, traduz bem o clima de mistério dahistória, com uma primeira página que mostra sempre uma imagemdesconcertante (como a de Times Square vazia) e a voz de Cruzdizendo: "abra seus olhos". O site também tem uma interessanteseção de experiências enviadas pelo público. Recheado de cenas caprichadas de Nova York, o filme tambémparece mais atual do que qualquer outra produção que deve chegaràs telas no Natal americano (o principal concorrente é Ali,em que Will Smith faz o papel do boxeador Mohammad Ali). Mesmoque Vanilla Sky não vire o mais importante concorrente dapróxima edição do Oscar, a produção tem tudo para ser uma dasmais comentadas da temporada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.